A Seleção Brasileira perdeu mais um jogador importante para a partida contra a Bolívia, domingo, pelas eliminatórias do Mundial de 2006. O zagueiro Juan, eventual substituto de Lúcio, nem viajará para o Brasil, seguindo conselho dos médicos do Bayer Leverkusen. Dessa forma, prossegue o desmonte da equipe, promovido, em parte, pela própria comissão técnica da Seleção, com a decisão polêmica de afastar cinco titulares para atender a uma ‘sugestão’ da diretoria da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Juan sofreu leve traumatismo craniano na rodada do fim de semana do Campeonato Alemão e passou a ser o nono atleta que Parreira deixa de contar para enfrentar a Bolívia. No início de agosto, ao convocar a Seleção para amistoso com o Haiti, no dia 18, o técnico afirmou que a lista seria acrescida de três ou quatro nomes, que seriam anunciados em Porto Príncipe, para completar o grupo com o qual pretendia jogar com a Bolívia e com a Alemanha, dia 8, em Berlim. Na relação inicial constavam Dida, Cafu, Kaká, Lúcio e Zé Roberto. Houve então um impasse com alguns clubes europeus, indispostos a liberar os atletas para o amistoso. Em vez de brigar na Fifa por seus direitos – exigir o cumprimento de normas da entidade máxima do futebol, que obriga os clubes a ceder os convocados para partidas com datas estabelecidas pela própria Fifa -, o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, preferiu culpar os jogadores. Numa conversa com Parreira, ele o convenceu a adotar a medida punitiva.

Lista

Juan vai agora se juntar ao outro grupo de excluídos – aqueles com problemas médicos. Gustavo Nery foi cortado da Seleção na terça-feira, por causa de uma fratura no punho direito. Diego e Luís Fabiano também acabaram dispensados do compromisso com a Bolívia devido a contusões. E ainda existe o risco, cada vez menor, é verdade, de que Ronaldinho Gaúcho fique fora da partida. Ele se recupera de uma torção no tornozelo direito e vai ter de treinar com bola nesta quarta-feira para ser melhor avaliado. O atacante do Barcelona estava mais otimista nesta terça-feira. O inchaço no local da lesão havia diminuído acentuadamente.

Para quem imaginava trabalhar com 22 atletas escolhidos com antecedência, quase todos já integrados à Seleção e ao esquema tático, a saída repentina de nove deles deve trazer prejuízos técnicos. A falta de entrosamento vai ser notória. Sem Lúcio e Juan, Roque Júnior pode compor a zaga com Edmílson, que vem atuando pela Seleção como volante. Na lateral-direita, Belletti será o titular, na vaga de Cafu. Julio Cesar vai ocupar o lugar de Dida no gol. No meio, Edu provavelmente substituirá Zé Roberto. Enquanto Alex é o mais cotado para fazer o papel de Kaká na seleção principal.