A tarifa de ônibus em Curitiba 375% desde a implantação do Plano Real, em 1994. O índice é 72,93% superior à inflação registrada no período, que foi de 174,67%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Os dados fazem parte de um estudo feito pelo escritório regional do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) no Paraná.

O alta da passagem de ônibus supera também a variação do salário mínimo, que subiu 270,43% desde julho de 1994. Quando o Real foi implantado, o salário mínimo era suficiente para pagar 161 passagens. Hoje, com o salário mínimo é possível comprar apenas 126 passagens. Isso representa uma queda de 21,74% do poder aquisitivo do salário mínimo em relação a tarifa de ônibus na capital paranaense.

O valor de R$ 1,90, a ser aplicado a partir da zero hora de sexta-feira, representa uma alta de 11,76% em relação aos R$ 1,70 cobrados atualmente. Com o novo preço, a passagem de ônibus em Curitiba passa a ser a mais cara do Brasil. A nova tarifa é superior às cobradas em São Paulo (R$ 1,70), Campo Grande, Rio de Janeiro (R$ 1,50), Florianópolis (R$ 1,50), Belo Horizonte (R$ 1,45), Porto Alegre (R$ 1,45), Salvador (R$ 1,40) e Vitória (R$ 1,30).