Poucas alterações estéticas
em relação à versão 1.0.

Quando foi lançado em setembro de 2000 no mercado nacional, o Celta tinha a missão de ser o modelo mais barato do Brasil. A GM do Brasil não conseguiu seu intento, porém, é inegável seu sucesso junto ao público consumidor.

Em mais uma clara demonstração do compromisso em atender aos anseios dos clientes da marca Chevrolet, a GMB lançou a versão 1.4 do Celta, oferecendo um automóvel prático, funcional e seguro, com boa relação custo-benefício. Em três anos de comercialização, o carro já vendeu mais de 300 mil unidades, graças, principalmente, às vendas pela internet. Faltava algo para a linha Celta ficar melhor. E esse “algo” chegou este ano com o motor 1.4 que deixou o compacto da GM mais rápido e gostoso de dirigir. Além de melhor que a 1.0 VHC, a versão 1.4 oferece a economia que o consumidor brasileiro tanto aprecia.

Estilo

Quanto ao estilo, a GMB promoveu poucas alterações estéticas em relação à versão 1.0 VHC. O Celta Energy se diferencia das demais versões pelo acabamento interno na cor prata e por ter conta-giros na instrumentação como item de série. E o emblema de identificação “Energy” aparece estampado nas portas dianteiras, como no Corsa Super.

Externamente, o visual da versão básica é simples, mas a Chevrolet garante o acréscimo de mais de 50 itens de personalização que vão desde CD player com opção para tocar arquivos MP3 até cadeiras de segurança para crianças. As várias opções de acessórios ajudam a dar um aspecto mais arrojado ao carro, principalmente para aqueles que gostam de um veículo personalizado e diferenciado.

Interior

Por dentro, o destaque fica por conta do novo acabamento, que ganhou vários detalhes na cor azul, tanto no painel (que tem detalhes em prata), quanto nas portas, e até em partes do revestimento dos bancos.

Os instrumentos localizados no painel são de fácil visualização.Há velocímetro analógico, hodômetro total e parcial, marcador de combustível e relógio digital. Os botões do console central contam com um bonito desenho, diferente da versão 1.0. O volante de direção é acolchoado e de três raios, e neste caso os detalhes são na cor “indigo blue” diferente da versão “Energy” que a cor usada é a prata.

O interior do novo Celta 1.4 é simples e agradável. E o que também chama a atenção logo ao se entrar no carro é o console central que conta com novo desenho.

O espaço interno é compatível com o segmento e as portas traseiras facilitam a entrada e saída no habitáculo. A abertura da tampa traseira é excelente para o momento de colocar a bagagem ou as compras. Mas mesmo assim o espaço do porta-malas é mais adequado para uma pessoa solteira (insuficiente para uma família).

Olho Clínico

A linha 2004 do Celta (inclusive o Energy), conta com motorização 1.4, desenvolvida pela Powertrain para a GM do Brasil. Sob o capô, o motor 1.4 litro com potência máxima de 85 cv a 5.800 rpm. O torque é de 11,8 kgfm a 3.000 rpm. O compacto da GM surpreende pelo bom desempenho: segundo a marca, o Celta faz de 0 a 100 km/h em 12s3 e atinge a velocidade máxima de 161 km/h. Na cidade mostrou-se ágil, com boas retomadas e enfrentou subidas íngremes sem maiores problemas. O consumidor certamente vai gostar do desempenho da nova motorização. Mas, sem dúvida, é no posto de gasolina que o proprietário de um Celta se sente compensado.

Na cidade, ele faz em média 11,5 km/l, e 15 km/l na estrada, portanto, uma média de 13 km/l. Com a gasolina a quase R$ 2,00, tal desempenho é motivo para comemoração.

Impressões

Dirigir o Celta ficou fácil e agradável. Logo na saída já é possível notar o fôlego extra do modelo. Com esse propulsor ficou mais fácil fazer ultrapassagens ou ainda enfrentar subidas, o que não é agradável com a versão equipada com motor 1.0.

O Celta 1.4 empolga pelo desempenho, mas incomoda para dirigir. O volante pesado cansa o motorista. O que realmente faz falta no Celta é a direção hidráulica, item constante da lista de opcionais de conforto do modelo.

A posição de dirigir é baixa, mesmo ajustando o banco que, por sinal, deixa o motorista em uma posição incômoda. O modelo também oferece estabilidade e segurança, sobretudo nas curvas, mesmo com os pneus 165/70R13. Isto graças à suspensão equipada com amortecedores a gás.

Os freios não decepcionaram. Funcionam sem exigir força demais no pedal. O que deixa um pouco a desejar é a posição de dirigir. Não há regulagem de altura do volante e do banco do motorista, apenas a inclinação do encosto e o ajuste deslizante do assento. E os passageiros do banco traseiro não contam com um bom espaço para as pernas.

Mercado

Sem nenhum opcional, o Celta 1.4 duas portas básico é encontrado por R$ 19.400,00 mas chega a R$ 20.564,00 na versão quatro portas. O preço sobe para R$ 20.800,00 na versão Energy duas portas e R$ 22.048,00 na versão quatro portas.

Detalhes do carango

Motor

VHC, dianteiro a gasolina, 1.4 litro, 8V, 4 cilindros em linha transversal

Cilindrada: 1.389 cm3

Potência máxima: 85 cv a 5.800 rpm

Torque máximo: 11,8 mkgf a 3.000 rpm

Injeção: M.P.F.I

Câmbio: Manual, de cinco velocidades

Tração: dianteira

Sistema de freios: Discos ventilados na dianteira e a tambor na traseira.

Suspensão

Dianteira: Independente tipo “McPherson”, molas helicoidais com carga lateral, amortecedores telescópicos hidráulicos pressurizados a gás, barra de torsão, fixada em ambas extremidades.

Traseira: Semi-independente com braços oscilantes, molas tipo “barril”, progressivas, amortecedores telescópicos hidráulicos pressurizados a gás, barra de torsão, fixada em ambas extremidades.

Direção: manual, pinhão e cremalheira

Rodas: 13 x 4 1/2

Pneus: 165/70 R13

Dimensões/Pesos/Capacidades

Peso em ordem de marcha: 870 kg (4 portas) e 834 kg (2 portas)

Carga útil (com condutor): 435 kg (4 portas) e 450 Kg (2 portas)

Comprimento: 3,74 metro

Largura total: 1,76 metro

Altura: 1,42 metros

Distância entre-eixos: 2,44 metros

Capacidade do compartimento de bagagem: 260 litros

Tanque de combustível: 46 litros

Desempenho

Velocidade máxima: 161 km/h

Aceleração de 0 a 100 km/h: 12,3 segundos

Consumo na cidade: 11,7 km/l

Consumo na estrada: 15,9 km/l