O presidente do Grupo Fiat para a América Latina, Cledorvino Belini, assumiu o posto de presidente da Anfavea, entidade que reúne os fabricantes de veículos no Brasil, mostrando-se otimista com o mercado, mas nem por isso satisfeito.

Tanto que ele acredita que o Brasil precisa de um “choque de competitividade”.

Para Belini, o atual momento de prosperidade da indústria automotiva brasileira é a chance para que o Brasil se consolide como um “player” importante no cenário internacional, mas é preciso trabalhar para melhorar a indústria nacional. “O Brasil não tem escala. São 25 marcas brigando por um espaço enquanto espera o mercado crescer. A média do volume de produção para cada marca é muito pequeno”, argumenta.

“Somos o quinto maior mercado do mundo e podemos virar o quarto maior ainda este ano. Mas o problema é que somos apenas o sexto maior produtor de veículos” disse Belini.

Durante o triênio 2010-2012, em que vai estar à frente da entidade, há uma previsão de investimentos na produção da ordem de US$ 11,2 bilhões, cerca de R$ 19 bilhões. Quase 40% mais que no triênio anterior, de 2007 a 2009, que ficou com US$ 8,1 bilhões, ou R$ 13,5 bilhões, aproximadamente.

O Brasil, na visão de Belini, precisaria coordenar melhor os esforços dos vários setores da cadeira produtiva. Desde produtores de aço e de autopeças até as montadoras.

Para ele, o Brasil teria maior facilidade de melhorar sua competitividade pois tem a vantagem de ser o país com melhor desenvolvimento em engenharia e pesquisa do BRIC – designação dada para Brasil, Rússia, Índia e China, considerados países com as economias emergentes mais fortes – se bem que a Rússia, afetada pela crise européia, ameaça ” rachar ” a unidade desse bloco.

Em relação à onda de “recalls” por que passa o mercado brasileiro, Belini não reconhece que está havendo aumento acentuado de ocorrências nem que as montadoras resistam à idéia de convocar os proprietários. E disse: “o “recall é uma questão de respeito ao consumidor”.

Cledorvino Belini, 60 anos, tomou posse na última sexta-feira (30/4) e comandará a entidade que reúne as montadoras nacionais até 2012. Belini substitui Jackson Schneider, que presidiu a Anfavea desde 2007.