Revolucionário detector portátil de combustível acaba de ser desenvolvido. Foi projetado para detectar a pureza do álcool, gasolina, óleo diesel, querosene e gasolina para aviação, e devido a sua praticidade poderá ser transportado tanto no porta-luvas como instalado na entrada do tanque de combustível dos aviões, automóveis, motos, camionetas, motores de popa, barcos, “jet sky”, caminhões, ônibus, tratores, colheitadeiras, etc.

“A idéia de desenvolver este detector surgiu (lembra o empresário Walter Maiolino, de Campo Grande, MS), quando descobri que todo o sistema de aferição existente no mercado, está limitado apenas aos postos e às distribuidoras. Justamente a partir daí que comecei a pensar em inventar alguma coisa que pudesse beneficiar e proteger a nós consumidores. Foi quando tive a idéia de desenvolver o Flex Power Detector, um detector capaz de alertar o consumidor ANTES do abastecimento, se o combustível está ou não adulterado.”

“O que mais surpreende no detector é a sua simplicidade. Seu funcionamento dá-se quando o frentista enche um recipiente de aproximadamente 10 ml de combustível, localizado na entrada do bocal do tanque. Aí um sensor de altíssima precisão e sensibilidade envia os dados coletados a uma central programada com o combustível padrão da ANP ( Associação Nacional do Petróleo). E qualquer que seja a mistura no combustível que não for a padrão, a central automaticamente alertará o consumidor em milésimos de segundos, de que este combustível que está sendo analisado não é o combustível padrão. Portanto, o mesmo está adulterado, e o mais importante, na frente do consumidor. Não é fantástico?”

“Tenho a mais absoluta certeza de que este detector chegou em boa hora”, afirma Maiolino, “pois estamos cansados de assistir quase todos os dias noticiários falando sobre adulteração de combustível, prática esta que vem atingindo a cada dia proporções gigantescas e alarmantes, pois quase 20% dos postos de combustíveis no País chegam a comercializar seus produtos com até 74% de adulteração. Quem acaba saindo no prejuízo, são os consumidores. Só para se ter uma idéia do prejuízo que o combustível adulterado causa, segundo a Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos) só para os veículos ainda com garantia de fábrica, o prejuízo passa da casa dos U$ 50 milhões por ano.”

“A minha expectativa agora é de que esta tecnologia passe a fazer parte integrante como item obrigatório de série, ao saírem de fábrica, em todos os automóveis, ônibus, caminhões, tratores, e principalmente, no setor de aviação civil, comercial e militar.

“A idéia agora é conseguir algum empresário interessado numa parceria conosco, para iniciarmos a sua fabricação. O custo final para o consumidor será em torno de R$ 100,00.” Qualquer informação é só ligar para o Sr. Walter no telefone 0 xx 67 9981 8000. Ou acesse o site:

www.flexpower.com.br