O mês de fevereiro nos traz à lembrança dois fatos marcantes dentro do cenário automobilístico de competição local e internacional. Um deles diz respeito à morte de Paulo José Buso, um verdadeiro ás do volante curitibano, o “Rei das Derrapadas”, ocorrida a 25 de fevereiro de 2002 e levantando poeira de saudade.

O outro, nos leva ao argentino Juan Manuel Fangio, pentacampeão mundial de automobilismo falecido também e que era muito admirado por Buso, pois, foi justamente no dia 23 de fevereiro de 1958 que ele foi sequestrado por guerrilheiros de Fidel Castro, às vésperas de um Grande Prêmio, em Havana\Cuba, sendo libertado somente após a prova. Campeão mundial em 1951, Fangio, juntamente com o piloto argentino José Froilan Gonzalez, veio ao Brasil no dia 13 de janeiro de 1952,disputando nesta data, no autódromo de Interlagos\SP, o VII Grande Prêmio Cidade de São Paulo. Tanto ele, quanto Gonzalez e ainda o brasileiro Chico Landi pilotaram carros Ferrari 166FL.

Participaram da prova ainda os italianos Felice Benetto e NelloPagani, com Maserati A6 GCS; Benedicto Lopes e Francisco Marques, com Maserati4CL; Gino Bianco, com Maserati de 3.250cc; Francisco Credentino, Annuar de Goes e Godofredo Vianna Filho, com Maserati de 3.000cc; e, João Scaffidi com Alfa Romeo B3200. Mais uma vez Fangio mostrou sua categoria, vencendo com velocidade média de 118,527 km\h, mas Landi foi o mais rápido numa volta, fazendo média de 126,470 km\h. Em segundo chegou Francisco Marques e em terceiro lugar Gonzalez. Nas fotos dessa histórica prova mostramos, de cima para baixo, nas curvas de Interlagos, Fangio tranquilo, Landi tentando alcançá-lo e Bianco derrapando.