A GM do Brasil apresenta a linha 2005 do Corsa. Dentre as novidades na linha Corsa 2005 destacam-se as novas versões que definem o nível de conteúdos para os modelos. As nomenclaturas delas são “Joy”, “Maxx” e “Premium” e podem ser adotadas tanto na carroceria “hatchback” quanto na sedã.

Novas versões

As novas versões da linha Corsa 2005 podem ser encontradas tanto com a carroceria “hatchback” e sedã, bem como com a motorização 1.0 litro “VHC” (Very High Compression) ou 1.8 litro Flexpower.

A nova versão “Joy” vem com diversos itens de série, entre eles: pára-choques na cor do veículo, conta-giros (tacômetro), sistema de imobilização do motor através de chave eletrônica “Immobilizer System”, saída de 12V e vidros verdes.

O modelo intermediário da linha Corsa é o “Maxx” que tem como diferenciais a mais que o “Joy”: rodas de aço com pneus 175/65 R14 e calotas de 14 polegadas, ar-condicionado, direção hidráulica, antena de teto e preparação para som.

No topo da linha está o “Premium”, que além de todos os conteúdos acima, oferece o acabamento interno diferenciado, vidros e travas com acionamento elétrico, rodas de liga leve com pneus 185/60 R14 (modelos 1.8), ar-condicionado, direção hidráulica, freios antitravamento (ABS) (modelos 1.8) e “air bag” (modelos 1.8) e alarme.

Outro destaque na linha 2005 são as novas cores Azul Antares (perolizada), Azul Santorini (lisa) e Verde Adhara metálica. Elas juntam-se às consagradas Branco Mahler, Preto Liszt e Vermelho Lyra, sólidas, Prata Escuna, Bege Nevada e Cinza Colima, metálicas.

Chevrolet coloca à disposição do consumidor uma lista com mais de 50 itens de acessórios para a personalização do Corsa 2005. Tanto o modelo “hatchback”, quanto o sedã, podem receber acessórios que vão desde CD player com opção para tocar arquivos MP3 até aerofólio.

A parte estética não foi deixada de lado, a GMB disponibiliza linha completa de acessórios como “spoilers”, saias laterais, aerofólios e rodas, entre outros itens que podem deixar o Corsa 2005 com visual personalizado, seguindo as modernas tendências do “tuning”. Os acessórios estão disponíveis nos 502 pontos de vendas da Chevrolet em todo o Brasil.

Motores 1.0 “VHC” e 1.8 Flexpower no Corsa 2005: potência e flexibilidade

A linha 2005 do Chevrolet Corsa conta com duas opções de motorização: o 1.0 VHC e 1.8 Flexpower desenvolvidos pela Powertrain para a GM. As motorizações são baseadas na consagrada família I. O motor 1.0 VHC desenvolve 71 cv a 6.400 rpm e torque de 8,8 kgfm a 3.000 rpm, com taxa de compressão de 12,6:1. No motor 1.8 litro, a potência máxima varia de 109 cavalos com o uso exclusivo do álcool a 105 cavalos com gasolina, ambos a 5.400 rpm. O torque é de 18,2 kgfm com o álcool e de 17,3 kgfm com gasolina. A taxa de compressão passou para 10,5:1.

O Chevrolet Corsa 1.0 VHC 2005 desenvolve velocidade máxima de 157 km/h, com a aceleração de 0 a 100 km/h em 15s5. O modelo é muito econômico, percorrendo 12,3 km/l na cidade e 16,6 km/l na estrada, com média combinada de 14,2 km/l. O Corsa 1.8 Flexpower 2005 apresenta números empolgantes, tanto de desempenho quanto de economia. Utilizando álcool a velocidade máxima é de 184 km/h, com a aceleração de 0 a 100 km/h em 10s4. Usando só gasolina a velocidade máxima fica em 182 km/h com a aceleração de 0 a 100 km/h em 10s6.

Se o desempenho é ligeiramente inferior com o uso da gasolina, nos números de consumo, as posições se invertem. Utilizando apenas gasolina o Corsa 1.8 Flexpower percorre 11,0 km/l na cidade, 16,3 km/l na estrada com uma média de 13,4 km/l. A autonomia chega a 717 km. Quando abastecido com álcool o Corsa percorre 7,6 km/l na cidade, 11,0 km/l na estrada, fazendo uma média de 9,1 km/l. A autonomia é de 484 km.

O funcionamento para o consumidor é simples. Basta abastecer com gasolina, álcool ou a combinação dos dois combustíveis, em qualquer proporção. O motor reconhece imediatamente a mistura e passa a oferecer o melhor desempenho.

Para trabalhar com o sistema multicombustível, o Corsa 1.8 recebeu algumas alterações como: nova taxa de compressão, nova bomba de combustível (semelhante à utilizada nos veículos movidos a álcool hidratado), novo sensor de oxigênio (passando a ser aquecido), sistema de partida a frio, o ECM (com novo software/calibração para controle da mistura de combustível) é muito mais moderno e rápido, além de novos bicos injetores de última geração com maior vazão. Diversas partes que entram em contato com o combustível permanecem inalteradas, pois já excediam os padrões de qualidade da GM do Brasil para trabalhar tanto com álcool quanto com gasolina.