Os apaixonados por motos afirmam que o estilo scrambler nasceu na Europa na década de 60.

Eram as antigas motos trail que se caracterizavam pela potência, robustez, agilidade e pela fácil condução.

A marca registrada era o escape lateral, teoricamente criado para superar riachos e trechos alagados.

Recentemente, a italiana Moto Morini fez uma releitura deste radical conceito e lançou a Scrambler, modelo que pode ser usado no dia-a-dia ou em aventuras por estradas de terra. Com características mecânicas de uma moto esportiva, a Morini conta com o que há de mais moderno em termos de equipamentos fabricados na Itália: freios Brembo, suspensão Marzocchi e quadro Verlicchi. Exclusividade em uma moto italiana puro-sangue.

Seu design retrô tem como base mecânica a 9 « (nove e meio), naked da Moto Morini. A Scrambler tem motor V2 com 87´ de inclinação entre os cilindros. Com 1.187 cm³ de capacidade cúbica, o motor tem potência máxima de 117 cv a 8.500 rpm e torque máximo de 10,4 kgfm a 6.700 rpm.

De acordo com o fabricante italiano, este motor esbanja potência e tem muita força em baixas e médias rotações. Para atender ao nível de emissão de gases na Europa, a moto está equipada com injeção eletrônica de combustível da Magneti Marelli.

Na dianteira, a Scrambler italiana conta com suspensão invertida (upside down) Marzocchi, com bengalas pintadas em preto de 50 mm de diâmetro e 150 mm de curso.

O sistema de freios, da grife Brembo, é formado por dois discos de 298 mm de diâmetro e pinças de dois pistões, na roda dianteira. Na traseira, disco simples de 250 mm de diâmetro, com pinças de pistão duplo. O monoamortecedor foi fixado lateralmente na balança de alumínio, multiajustável.

Dependendo da tipo de utilização, a Morini oferece duas opções de pneus para a Scrambler. Caso o piloto seja mais estradeiro, a moto pode vir equipada com pneus radiais Michelin Anakee 2.

Se o condutor tiver o espírito mais aventureiro, a montadora sugere o Metzeler Karoo. Detalhe: a moto usa rodas de alumínio Excel, aro 19 na dianteira e 17 na traseira.

O suporte do pára-lama cromado, o duplo escape lateral e a tela de proteção do farol contrastam com o desenho moderno do tanque. Bem como o painel de instrumentos formado por dois mostradores, um digital e outro analógico, coberto por pequena carenagem.

A parte estética, desenvolvida pela Marabese Design, traz a riqueza de detalhes dos modelos da década de 60, porém numa moto atual e moderna. Como boa italiana que é, a Scrambler é montada sobre um chassi de treliça, feito em aço.

Na Itália, ela pode ser adquirida em duas opções de cores: preto/branco e branco/vermelho, ambas com quadro em preto. E o preço sugerido é de 12.290 euros, cerca de R$ 32.700.