Muita gente estranha quando ouve falar no lançamento do New Fiesta, pois a Ford fez recentemente pequenas alterações de estilo na linha Fiesta no Brasil, tanto no “hatch” quanto no sedã.

Mas trata-se de um novo carro, que chega para competir no segmento dos sedãs compactos “premium”, como o Honda City e o VW Polo.

Ele é chamado de New Fiesta para diferenciar do modelo brasileiro, rebatizado de Fiesta RoCam.

O New Fiesta foi desenvolvido sobre nova plataforma global da Ford e o modelo que chega ao Brasil é produzido em Cuautilán (México), que abastece as três Américas.

As linhas do novo sedã foram inspiradas no estilo Kinetic, adotada pela marca do oval para quase todos os seus modelos. Na frente destacam-se a grande tomada de ar inferior (na cor preta); a grade com três barras cromadas; os faróis, que, de tão espichados, chegam quase a tocar a base da coluna A, invadindo literalmente os pára-lamas; e os ressaltos laterais do capô, que dão a idéia de um prolongamento da coluna A.

De perfil, o New Fiesta incorpora a tendência dos sedãs em formato cupê, com o teto bem curvado e a linha de cintura ascendente.

Internamente o New Fiesta tem acabamento bem cuidado, com materiais de boa aparência e de toque agradável, como o que reveste a parte de cima do painel.

O desenho do painel é inovador, com instrumentos bem visíveis, e envolvente, com comandos voltados para o motorista.

Mas falta termômetro de temperatura do motor. O espaço interno fica no limite para oferecer conforto para quatro adultos de estatura mediana.

No banco de trás cabem dois adultos e uma criança. O porta-malas também não é dos maiores, mas fica no nível de um sedã compacto.

Durante a avaliação do Jornal do Automóvel, por mais de 500 quilômetros, a impressão ao volante do New Fiesta foi positiva.

A posição de dirigir é boa, facilitada pelas regulagens oferecidas pelo banco do motorista, que é confortável e prende bem o corpo. Seu motor Sigma 1.6 16V (o mesmo do Focus) proporciona bom ritmo de viagem em estradas e agilidade no trânsito urbano, com boas retomadas e bom fôlego acima das 2.500 rpm, e consumo moderado. Permite que se façam ultrapassagens e curvas com muita segurança. Seu câmbio manual tem engates precisos e macios e relações de marchas bem adequadas. A suspensão mostrou boa estabilidade, mas não absorve bem as imperfeições e é barulhenta em pisos ruins.

O New Fiesta é um carro gostoso de dirigir, com atrativos interessantes, como acabamento, linhas modernas e amplo pacote de equipamentos de conforto e segurança oferecidos em três níveis (três catálogos), que faz valer o investimento.

A versão de entrada tem preço de R$ 49.900 e a intermediária chega custando R$ 51.150.

Mas a “top” de linha com bancos em couro, sete “airbags” e terceiro apoio de cabeça e terceiro cinto de três pontos no banco de trás, custa R$ 54,9 mil. Preços que achamos um tanto alto.

Ficha técnica

Motor: Dianteiro, transversal, quatro cilindros em linha, 16 válvulas, comando duplo (DOHC), injeção eletrônica, gasolina e álcool
Cilindrada: 1.596 cm³
Potência: 110 cv a 6.250 rpm (G) e 115 cv a 5.500 rpm (A)
Torque: 15,8 kgfm (G) e 16,2 kgfm (A) a 4.250 rpm
Câmbio: Manual de 5 marchas
Comprimento: 4,41 m
Largura: 1,69 m
Altura : 1,44 m
Entre-eixo: 2,49 m
Porta-Mala: 440 litros
Suspensão: Independente do tipo McPherson, com molas helicoidais e amortecedores hidráulicos na dia,nteira; por eixo rígido, com molas helicoidais e amortecedores hidráulicos na traseira
Freios: Discos ventilados na frente e tambores atrás, com ABS e EBD
Tanque: 47 litros
Preços sugeridos: De R$ 49.900 (versão entrada) a R$ 54.900, (top de linha)
Velocidade: 190 km de acordo com informações da Ford
Aceleração: De 0 a 100 Km/h em 11,5 segundos