A nova Mercedes ML 350 BlueEfficiency Sport que chega às lojas até o fim deste mês não é para qualquer bolso, mas pode-se dizer que os R$ 335 mil cobrados pela montadora se justificam. Em sua terceira geração, a ML chega com todos os itens imagináveis numa off-road inclusive a força para não fazer feio em terreno nenhum mas, como todo Mercedes, mantém a elegância e o conforto necessários para fazer bonito na cidade e no asfalto. A expectativa da marca é vender 250 unidades até o fim do ano.

Por vir completo, o modelo não terá acessórios e o seu principal concorrente é o BMW X5. O motor V6 de 306 cavalos de potência, dotado de câmbio automático de 7 velocidades e tração integral nas quatro rodas, é o único, por enquanto, que equipará o SUV da Mercedes. “Enquanto não tivermos segurança sobre a presença do diesel S50 nos postos brasileiros, não teremos motores a diesel para o ML”, disse Glauci Toniato, gerente de Marketing da divisão de automóveis da Mercedes-Benz do Brasil.

Desde de 1.º de janeiro, a venda desse diesel menos poluente passou a ser obrigatória em 4,2 mil postos no Brasil, mas, na prática, o combustível ainda não é encontrado com tanta facilidade.

Tecnologia

Uma tela de 7 polegadas no painel integra um sistema multimídia que incorpora todas as funções, do rádio ao GPS, e vem com uma capacidade de armazenagem de 10 GB. A câmera de ré, que completa o sistema de sensores sonoros, tem alta resolução e guia o motorista nas manobras de estacionamento de ré. Não querendo arriscar, é possível usar o Active Park Assist, que deixa o veículo estacionar sozinho, depois de calcular o tamanho da vaga disponível.

Ao todo, são 39 itens que ajudam o motorista a aproveitar melhor o passeio ou uma viagem mais longa. É possível, por exemplo, regular a sensibilidade da suspensão e da direção de acordo com o piso enfrentado, os bancos têm ajuste lombar, de altura e memória (do motorista), o volante tem regulagem de altura e um sistema de piloto automático facilita o controle da velocidade.

Off-road

Em uma pequena pista de test-drive montada pela empresa na cidade, foi possível avaliar o Classe M enfrentando grandes buracos, além de aclives e declives. Apesar do seu visual e do requinte que podem desabonar o uso off-road, o Mercedes enfrenta trechos de piso ruim com facilidade.

Para iniciar o trajeto na terra, é indicado acionar o “botão off-road”, que fica ao lado do banco do motorista, onde geralmente ficam o câmbios de marcha dos carros no ML, a transmissão fica no lado superior direito do volante. Com o dispositivo acionado, os sistemas de segurança (ABS e controle de tração) ficam menos intrusivos e favorecem a condução neste piso. Auxiliado pela tração integral, chamada de 4MATIC pela marca, o SUV supera com facilidade as depressões do terreno. No momento de descer sobre pisos irregulares, o usuário pode acionar o Downhill Speed Regulation (DSR), que regula a velocidade nesta situação. Com este dispositivo, o veículo controla sozinho a descida em velocidade pré-ajustada, que pode variar de 2 a 18 km/h. O sistema funciona bem e confere segurança para enfrentar trechos mais difíceis.

* O jornalista viajou a convite da Mercedes-Benz.

Divulgação/MB