A Volkswagen resolveu equipar o Fox BlueMotion 1.0 Flex para introduzir em sua linha o novo motor de três cilindros, que em 2014 também vai estar em seu compacto up!, próximo carro de entrada e principal lançamento da marca nos últimos anos. Desde julho no mercado, o Fox é o segundo modelo de produção nacional a sair de fábrica com esse tipo de motorização, já que o primeiro foi o Hyundai HB20. Porém, a VW equipou o seu compacto com um pacote diferenciado de equipamentos com a intenção de transformá-lo em seu modelo mais econômico no Brasil.

O BlueMotion traz, além do novo motor, sistema de partida a frio que dispensa o uso do tanquinho reserva, já que o combustível passa por uma câmara de pré-aquecimento antes de ser injetado. O dispositivo entra em funcionamento sempre que a temperatura ambiente está abaixo de 17,5 graus. Os pneus são chamados de verdes, na medida 175/70, pois trazem em sua composição componentes que ajudam a reduzir a resistência ao atrito, favorecendo a performance. O modelo oferece ainda componentes estéticos diferenciados, como a grade dianteira com novo desenho, que melhora a aerodinâmica e também ajuda a economizar combustível.

Motor

Com bloco e cabeçote em alumínio e 24 kg mais leve que o 1.0 EA111, ainda em linha , o novo motor 1.0 de 12V (quatro por cilindro) rende 75 cavalos de potência quando abastecido com gasolina e 82 cv com álcool no tanque o torque é de 9,7 kgfm e 10,4 kgfm, respectivamente. Segundo a marca, a aceleração de 0 a 100 km/h é percorrida em 13,5 segundos. A velocidade máxima é de 166 km/h números praticamente iguais aos 13,2 segundos e 167 km/h quando troca-se gasolina por etanol.

O primeiro motor com três cilindros da marca no país passou por 2,4 milhões de quilômetros em testes, segundo a VW.

Desempenho

O Fox BlueMotion não decepciona. O seu motor de três cilindros oferece uma performance adequada tanto para a cidade quanto na estrada. O bom torque em baixas rotações resulta em arrancadas rápidas e as retomadas de velocidade são feitas com segurança. O câmbio, com relações alongadas, contribui para o bom desempenho, além de ter engates precisos. É um carro mais durinho, já que o ajuste das suspensões privilegia a estabilidade em detrimento do conforto. Com etanol no tanque, o computador de bordo apresentou um consumo de 16 km/l em um trajeto na BR 277.

Além do computador de bordo, em seu quadro de instrumentos o hatch traz uma barra gráfica que indica o consumo instantâneo de combustível auxiliando o motorista a dirigir de uma forma mais econômica.

Outro dispositivo voltado a economia é o indicador digital de troca de marchas, que orienta a reduzir ou aumentar a marcha. Também sempre com foco na economia, o computador de bordo coloca várias mensagens no painel, como o aviso de que é preciso pisar na embreagem para fazer o motor funcionar, que os vidros sejam fechados, para diminuir a resistência ao ar, ou que não se deve acelerar com o carro parado.