Sedã médio, o Jetta 2.0 TSI tem desenho discreto e vários atrativos, como bom espaço interno, conjunto mecânico muito eficiente e relação custo/benefício de tirar o sono da concorrência.

O automóvel da Volkswagen não chama a atenção pelo “design”, que segue a atual linha adotada pela VW, mas impressiona pelo bom espaço e acabamento interno, muita tecnologia e motor turbo que, junto com o câmbio automatizado de dupla embreagem, pro-porciona bom desempenho.

Sua frente segue o padrão atual da VW, com faróis de duplo refletor e linhas mais retas,  acompanhando os vincos do capô. A grade é discreta, com dois filetes cromados. E seu robusto pára-choque tem entrada de ar inferior.

As laterais são lisas, com linha de cintura elevada, marcadas apenas por vincos que as atravessam de uma extremidade à outra.

Os retrovisores externos são de bom tamanho, com luzes direcionais embutidas.

O pára-brisa é bem inclinado e o teto arqueado, dá elegância ao sedã. A traseira é alta e tem colunas largas, que comprometem a visibilidade, porém o sensor de estacionamento ajuda bastante nas manobras.

As lanternas são horizontais, com pontas triangulares, que invadem a tampa do porta-malas.

O acabamento interno do Jetta TSI é quase impecável, com material de boa qualidade, revestimento em couro nos bancos e plástico emborrachado no painel, que tem um visor central sensível ao toque.

Os instrumentos de fundo preto são de fácil visualização e os comandos estão bem localizados no painel e nas portas.

Para completar, o carro tem amplo pacote de itens de série, que inclui “airbags” frontais, laterais e de cabeça, “isofix” para fixação de cadeira de segurança para crianças e ar-condicionado Climatronic de duas zonas.

Como todo bom sedã, além de ter um porta-malas generoso, o Jetta é espaçoso por dentro.

Para o motorista, há banco com ajustes elétricos, inclusive lombar, e volante de boa pega, com regulagens de altura e distância, que favorecem a posição de dirigir.

O Jetta TSI tem motor 2.0, com turbocompressor e sistema de injeção direta, que garante respostas imediatas aos comandos do motorista.

Seu motor de 4 cilindros trabalha em silêncio, com arrancadas nervosas e retomadas de velocidade seguras. É preciso dosar o peso do pé no acelerador para não sair cantando pneu.

Aliado ao motor, eficiente câmbio automatizado (e não automático, como quer a VW) de seis velocidades garante trocas de marchas quase imperceptíveis. O sedã tem desempenho empolgante e faz curvas com segurança.

E o consumo é razoável: cerca de 7 km/l na cidade e 12 km/l na estrada, indicado no computador de bordo. Concluindo: o Jetta tem mais a oferecer do que aparenta.

É uma opção interessante para quem procura conforto, espaço, tecnologia, e desempenho. A versão 2.0 TSI Highline tem preços que vão de R$ 89.520,00 a R$ 96.740,00.