Sem dúvida nenhuma, o design do Ka é a arma da 2.ª geração do carro da Ford. O novo Ka tem um ar simpático, provocado por seu tamanho pequeno e pela leveza de suas linhas.

Seu design não tem a ousadia da versão anterior, que era inovadora nas formas, mas é moderno e transmite sensação de dinamismo e jovialidade.

É um carro que cativa mesmo quem não se interessa muito por compactos e, no mercado de hoje, atrair o consumidor à primeira vista é muito importante.

O novo Ka foi desenvolvido por brasileiros. O capô traz vincos que acompanham as linhas dos faróis. E estas, por sua vez, invadem os pára-lamas.

Sua grade (antes preta e em formato de colméia) ganhou barras paralelas horizontais pintadas na mesma cor do veículo.

Nas laterais chamam a atenção às molduras dos pára-lamas. Largos, estes equipamentos dão ao Ka um pouco de esportividade.

Outro item que favorece essa característica é o vidro traseiro. Ele segue as linhas laterais, e vão subindo conforme a traseira se aproxima.

As lanternas são translúcidas e têm iluminação que imita as de Leds. A tampa do porta-malas e o bagageiro cresceram.

Segundo a Ford, o novo Ka traz o conceito “easy access” (acesso fácil), no qual o compartimento de carga é mais baixo que o normal. A capacidade é para 263 litros de bagagem.

Pequeno por fora, o novo Ka proporciona bom nível de conforto para seus ocupantes. Ele privilegia quem anda na frente -afinal, sua proposta é ser um carro para transporte urbano e a maioria das pessoas costuma trafegar sozinha ou, no máximo, com um acompanhante.

Os bancos são confortáveis e as amplas portas facilitam a entrada e a saída. O acabamento interno está longe do luxo, mas não chega a ser espartano – tem gente que fica incomodada com a “lataria” aparente nas portas (na realidade, parte dela é plástico), mas o efeito visual não chega a empobrecer o veículo.

Seu painel de instrumentos é simples, mas tem visual agradável e o volante tem bom tamanho e agrada ao toque.

O novo Ka tem, sim, um porta-luvas de verdade, não apenas uma gaveta.

O carro que avaliamos era equipado com motor 1.6 (a outra opção é 1.0), com 102 cv de potência (gasolina) e 110 cv (álcool). Seu câmbio atende as necessidades para uso na cidade e nas estradas.

Sua suspensão é boa nas curvas e, nas ruas esburacadas, absorve a trepidação de forma eficiente. O carro é gostoso de guiar, do tipo que, mesmo sem ser um esportivo, “veste” bem o condutor.

Os modelos 1.6 trazem de série rodas de 14” (mas ainda com calotas) e direção hidráulica.

Recurso interessante que está presente em todas as configurações é o alerta de manutenção programada por tempo e quilometragem, no qual uma luz no painel indica a hora certa de mandar o veículo para a revisão.

O Ka chama a atenção nas ruas e o melhor: leva cinco pessoas. O Ka 1.6 2009 é ágil e agradável de dirigir.

Ficha técnica

Motor: 1.6 litro, Rocam, dianteiro, transversal, quatro cilindros em linha, 8 válvulas, bicombustível
Cilindrada: 1.598 cm³
Potência: 102 cv (G) e 110 cv (A) a 5.500 rpm
Torque: 15 kgfm (G) e 15,8 kgfm (A) a 4.250 rpm
Compressão: 12,3:1
Câmbio: Mecânico, de cinco marchas
Comprimento: 3,83 m
Largura: 1,80 m
Altura: 1,42 m
Entre-eixo: 2,45 m
Peso: 942 kg
Suspensão: Independente, tipo McPherson,, com braços inferiores, amortecedores pressurizados com batente de suspensão em poliuretano e molas helicoidais, na frente. Semi-independente, com eixo auto-estabilizante, amortecedores pressurizados com batente de suspensão em poliuretano e molas helicoidais, atrás
Freios: Dianteiros a disco ventilado e traseiros a tambor
Tanque (l): 45 litros
Preço sug.: a partir de R$ 32.790,00