Um dos modelos que mais chamaram a atenção no Salão de Genebra (Suíça), em março deste ano, foi o protótipo Alfa Romeo Brera, que tem linhas criadas pelos desenhistas do estúdio Italdesign, fundado pelo renomado “designer” Giorgetto Giugiaro.

O nome Brera é uma homenagem à cidade de Milão (Itália), cuja sofisticação condiz com os predicados desse cupê conceitual que pode servir de base para a nova geração do esportivo Alfa Romeo GTV.

O arrojo da carroceria de fibra de carbono (material leve e resistente utilizado nos monopostos de Fórmula 1) é o primeiro indício de que esse Alfa faz parte de uma linhagem especial. Os traços harmoniosos que compõem o desenho do Alfa Romeo Brera são coroados por componentes modernos, como os expressivos faróis que iluminam por descarga de gás xenônio, os pneus Michelin Pax System (à prova de furo) e o pára-brisa que se estende até a capota, feito de vidro escurecido.

Os detalhes estéticos dos clássicos da marca italiana não poderiam faltar no interior desse protótipo. Como todo legítimo Alfa Romeo, velocímetro e conta-giros são bem visíveis por meio dos vãos do volante de três raios. Os demais instrumentos circulares são voltados para o motorista, e também fazem parte dos tradicionais itens dos carros com o “cuore sportivo” na grade dianteira. O revestimento de couro marrom e os cromados espalhados pelo painel dão um toque de sofisticação.

Belo de corpo e alma, o Alfa Brera vem equipado com tração integral e o mesmo conjunto mecânico do Maserati Cupê: motor V8 4.2 de 400 cavalos e câmbio seqüencial de seis marchas (com trocas feitas por hastes instaladas atrás do volante).

No caso do esportivo da marca do tridente, o desempenho é digno de um campeão. Para ir de 0 a 100 km/h são necessários apenas 5 segundos e a velocidade chega a atingir a marca dos 283 km/h, números que podem ser facilmente superados por esse leve e sofisticado protótipo de sangue quente.