O Peugeot 206 desembarcou em nosso País em março de 1999, vindo da França com motor 1.6 de 8V e 90 cv de potência. E logo chamou a atenção do público pelo “design” inovador, praticidade, performance e robustez. E em fevereiro deste ano chegou ao mercado sua nova geração, que recebeu evolução estética significativa e nova e interessante motorização 1.4 8V.

Essas melhorias foram introduzidas com o objetivo de manter o Peugeot 206 competitivo no seu segmento de mercado, aprimorando suas qualidades e deixando-o mais bem adaptado às nossas condições de rodagem.

O novo visual inclui faróis com lentes mais transparentes de policarbonato e refletores de superfície complexa, uma grade dianteira do tipo “colméia”, lanternas traseiras no mesmo estilo do 307 e logotipo da Peugeot cromado na tampa traseira. O modelo também conta com novas opções de rodas e calotas.

Com esses retoques visuais, o 206 passa a ter aparência renovada que transmite um ar de maior requinte e sofisticação. O nome das versões disponíveis mudaram e não ficam mais nas laterais das portas dianteiras.

O visual também conseguiu o impossível: ficar mais atraente do que antes. O compacto até poderia ser chamado de 206+, tamanha sua semelhança com o modelo médio 307. Um dos poucos problemas sem solução foi mesmo o espaço no banco traseiro, reduzido pelas exigências do estilo ousado do carro, mas que não chega a incomodar.

Por dentro, as novidades se resumem às duas opções de tecidos para os bancos e o fundo branco do painel de controle, que mantém o mesmo desenho do 206 antigo. O conjunto de mostradores inclui velocímetro (com marcação ímpar), conta-giros e marcadores do nível de combustível e da temperatura do líquido de arrefecimento. Os comandos são fáceis de serem acionados. A exceção continua sendo os botões dos vidros, que (como no Renault Clio e no Citroën C3) ficam ao lado da alavanca do freio de mão, posição que dificulta um pouco o seu acionamento.

No caso do 206 1.4, a opção mais em conta é a Présence (duas portas), oferecida a partir de R$ 24.990,00, preço que sobe na Feline (4 portas) para R$ 30.840,00. Entre os itens de série dessa nova versão destacam-se direção hidráulica, vidros elétricos, banco do motorista com regulagem de altura e desembaçador traseiro. Ar-condicionado, rodas de alumínio e farol de neblina na versão topo de linha.

OLHO CLÍNICO

Durante a avaliação feita pelo Jornal do Automóvel, o Peugeot 206 mostrou que o motor 1.4 (o mesmo usado no Citroën C3) tem funcionamento suave e silencioso. Gera 75 cv de potência e 12 kgfm a 2.800 rpm, suficiente para manter bom ritmo na estrada e agilidade no trânsito do dia-a-dia.

Com novos amortecedores (agora nacionais e não mais importados) e pneus (desenvolvidos em conjunto com a Pirelli para absorver melhor a irregularidade do piso), o carro mostrou mais conforto ao rodar. Essas alterações foram feitas para acabar com as reclamações de ruídos na suspensão do 206 anterior, constatadas por usuários. O isolamento acústico melhorou muito, como o comportamento da suspensão.

No trecho de curvas o carro transmitiu segurança, sem pregar sustos e controlando a inclinação da carroceria. As trocas de marcha foram sempre rápidas e precisas. Para receber o novo motor 1.4 8V, o câmbio teve seu escalonamento alterado para manter equilíbrio entre desempenho e consumo, segundo o fabricante.

Em trecho rodoviário, a 100 km/h, em quinta marcha, o motor trabalha silenciosamente perto das 3.000 rpm . O bom torque em baixa rotação permite ágeis retomadas de velocidade que, combinadas ao câmbio preciso, tornam a sua condução empolgante para um veículo com as suas características.

Ao acelerar, nota-se que o ponteiro do conta-giros sobe depressa. Sua é direção leve e o volante de três raios tem boa empunhadura. Segundo a Peugeot, o 206 1.4 acelera de 0 a 100 km/h em 14,2 segundos e atinge a velocidade máxima de 172 km/h.

A novidade mais evidente é o motor 1.4 8V, todo construído em alumínio, importado da França, mas previsto para ser produzido no Brasil a partir do 2.º semestre deste ano. Ele tem 75 cv a 5.500 rpm e torque de 12 kgfm a 2 800 rpm, o que confere ao modelo uma relação peso/potência de 12,7 kg/cv. E sua injeção eletrônica é do tipo multiponto seqüencial.

A Peugeot espera que o motor 1.4 litro seja responsável por mais de 35% dos 206 produzidos. O novo modelo da Peugeot terá como principais concorrentes o novo Fiat Palio 1.3 e o próprio C3 1.4 litro, produzido na mesma fábrica em Porto Real, no Rio de Janeiro.

FICHA TÉCNICA

Peugeot 206 1.4 litro

Motor dianteiro, transversal, alimentação por injeção eletrônica multiponto, comando de válvulas no cabeçote

Cilindrada

: 1.360 cm³

Potência (cv)

: 75 a 5.600 rpm

Torque (kgfm)

: 12 a 2.800 rpm

Câmbio:

Manual, de cinco marchas

Comprimento (m)

: 3,83

Largura (m)

: 1,65

Altura (m)

: 1,43

Entre-eixo (m)

: 2,44

Peso (kg)

: 950

Suspensão dianteira

: Rodas independentes, pseudo McPherson, molas helicoidais e amortecedores hidráulicos integrados

Suspensão traseira

: Rodas independentes, semi-horizontal, barras de torção transversais, amortecedores hidráulicos

Freios

: Dianteiros a disco e traseiros a tambor