O 307 Cabriolet, tem motor
2.0 litros, com 177 cv de potência.

Este Peugeot 307 será lançado dia 26 deste mês no Salão de Paris. O grande trunfo deste carro está na rápida transformação de coupé para cabriolet, com a capota rígida embutindo no porta-malas. Nada melhor do que os salões de automóveis para mostrar as principais tendências da indústria automotiva, os “concept cars” e os lançamentos mais quentes do mundo sobre quatro rodas.

Nestes eventos, as montadoras se preparam com o que há de melhor, pois sabem que todos da imprensa e os aficcionados por automóveis estão de olhos bem abertos para verem os melhores carros da exposição.

Pensando assim, a Peugeot vai aproveitar o Salão de Paris, no fim deste mês, para revelar a sua mais recente versão do 307, o Coupé Cabriolet, equipado com motor 2.0 litros capaz de gerar 177 cv de potência do novo 206 RC.

Rápida transformação

A Peugeot talvez seja a montadora que alterou de forma mais radical os “designs” de seus carros. Até poucos anos, a aparência altamente conservadora dos carros Peugeot não atraía os consumidores mais jovens, que sempre são mais ligados nos modelos mais modernos.

Hoje, presenciamos a evolução dos modelos da marca a um ponto tal que chegam a ser extremamente ousados para os padrões europeus. E o 307 é o maior exemplo disso, pois, como coupé, sua capota rígida se embute com extrema rapidez no porta-malas, transformando-o em um conversível de linhas agradáveis e contemporâneas.

O 307 CC é 12 cm mais longo e 7 cm mais baixo que o “hatch”, chegando a 4,32 metros de comprimento, devido à traseira maior. Tem pára-choques exclusivos, lanternas posteriores com , um sutil spoiler sobre o porta-malas e rodas cromadas com 18 pol de aro.

Com quatro lugares, possui encostos de cabeça que atuam como arcos de proteção em capotagem. O interior é o mesmo do 307 conhecido, a não ser pelo acabamento de luxo, em couro nos tons bege e vermelho (incluindo o volante), os detalhes metalizados e o mostrador do sistema de navegação no painel.

Carro de Bombeiro

Carros-conceito são tantos nos grandes salões que os fabricantes precisam de muita criatividade para atrair as atenções. A Peugeot soube fazê-lo com o H2O, a ser apresentado em Paris dia 28. Sua proposta é a de um carro de bombeiro com propulsão elétrica e célula a combustível, tecnologia que muitos acreditam ser a sucessora dos atuais motores a combustão.

A célula trabalha com oxigênio (extraído do ar) e hidrogênio (produzido pelo próprio veículo), daí a escolha da fórmula da água para denominá-lo. Desenvolvido através de consultas a bombeiros, o H2O possui escada telescópica, rodas de alumínio de 18 pol, telefone, sistema de navegação por GPS e bancos em Neoprene vermelho, material resistente a chamas.