Até o fim de 2016, os carros com motores 1.0 tricilíndricos serão maioria no Brasil no segmento de carros compactos. Hoje, já representam pouco mais de 40% dos modelos à venda.

A tecnologia conhecida como ‘downsizing’ – propulsores menores e mais eficientes – é bastante difundida em mercados da Europa, além de Japão e Estados Unidos. Com ela, é possível obter maior desempenho e menor consumo e emissão de poluentes que as versões 1.0 com quatro cilindros.

Basta comparar exemplares equipados com as duas opções de bloco para perceber que o três cilindros veio para ficar. Atualmente, o ‘milzinho’ aspirado mais vigoroso no país é o novo Ford Ka. O propulsor menor faz o modelo render 85 cv com etanol, ou 5 cv a mais que o Chevrolet Onix, o 1.0 com quatro cilindros mais forte do nosso mercado.

No quesito consumo de combustível, outro ponto a favor do três cilindros. Pela medição de eficiência energética do Inmetro, a média cidade/ estrada de três modelos – Ka (11,9 km/l), VW up! (11,9 km/l) e Nissan March (11,8 km/l) – é melhor que a do Fiat Palio Fire (11,6 km/l), o que menos bebe entre os 4 cilindros.

Mas a própria Chevrolet e Fiat, além de Renault e PSA Citroën-Peugeot, notaram que o futuro é retirar um cilindro e, se possível, adicionar uma turbina para melhorar ainda mais a performance, como acaba de fazer a Volkswagen com o lançamento do up! 1.0 TSI, de 105 cv. Mesmo com o acréscimo no desempenho, o compacto melhorou ainda mais números de consumo: 9,9 km/l (etanol) e 13, 8 km/l (gasolina) na cidade e 11,1 (e) e 16,1 (g), contra da 9,2 km/l (e) e 13,5 km/l (g) no uso urbano e 10,2 km/l (e) e 16,1 (g) no rodoviário.

A Chevrolet equipará num primeiro momento o novo modelo de entrada da marca, que substituirá o Celta a partir de 2016. A Fiat lançará até o fim do ano um projeto inédito, no qual adotará duas válvulas por cilindro em vez de quatro. Assim, o três cilindros que estreará no Uno e depois no Palio terá seis válvulas e não 12 como nos concorrentes.

No primeiro semestre de 2016, será a vez da Renault recorrer ao três cilindros para mover o futuro compacto de entrada que substituirá o Clio. O bloco virá emprestado da Nissan, usado no March e Versa. Atualmente, além dos modelos vistos nesta página, o chinês Chery QQ (69 cv e 9,3 kgfm) faz uso da nova ordem na faixa de motores de baixa cilindrada – o futuro JAC J3 nacional também vai retirar um cilindro.

Confira abaixo os modelos vendidos no país com motor 3 cilindros aspirado (o up!, que chegará às lojas na próxima semana, não foi incluído no comparativo)