renault1310806.jpgCom novos produtos a serem lançados no mercado nacional, o Renault Contrato 2009, plano anunciado pelo presidente do Grupo Renault, Carlos Ghosn, estabelece metas de crescimento e lançamentos para os próximos três anos.

Na Renault do Brasil, o plano tomou forma com o início da comercialização do Novo Mégane e agora a empresa se prepara para novos avanços com a contratação de 1.000 colaboradores para a implantação do segundo turno de produção em 2007.

De janeiro a julho, já foram contratados 350 novos funcionários, entre operadores e supervisores de produção, engenheiros e outros profissionais, alocados principalmente na linha de montagem do Novo Mégane, na estamparia e na fábrica de motores.

renault2310806.jpgA montadora também contratou engenheiros para o projeto Logan, que será produzido em 2007. Atualmente, a Renault do Brasil conta com um efetivo de 3.100 funcionários. Até 2007 está prevista a contratação de outros 650 colaboradores, sendo que 400 deles começam a trabalhar em janeiro de 2007. Esse contingente considera principalmente a implantação do segundo turno de trabalho na fábrica de veículos de passeio a partir de 2007 e a produção de dois novos modelos: o Mégane Grand Tour, que será lançado até o final deste ano, e o Logan.

"Com o início do segundo turno de trabalho, além dos operadores também temos que contratar pessoal para as áreas de suporte, como supervisores, área de manutenção, logística, qualidade e engenharia", explica Carlos Magni, diretor de Recursos Humanos da Renault do Brasil. As novas contratações de engenheiros também levam em conta um fator relevante: o fortalecimento da equipe local de engenharia voltada para o desenvolvimento de produto.

De acordo com Magni, o Renault Contrato 2009, que estabelece o lançamento de cinco novos modelos de veículos no Brasil até 2009 (entre eles estão o Novo Mégane, o Mégane Grand Tour e o Logan), traz novos desafios para a unidade brasileira, que deve estar com a estrutura pronta.

"Os lançamentos de novos produtos e a conseqüente expectativa de aumento na produção nos levam a agilizar as contratações para que todos os novos colaboradores possam ser bem treinados dentro das preconizações estabelecidas pelo Sistema de Produção Renault", disse Magni.