A Servopa S/A, tradicional revenda Volkswagen de Curitiba, esteve movimentada no último dia 05 de junho (quarta-feira), com a apresentação do novo Polo para os clientes da casa e a imprensa local. Mais de 500 pessoas compareceram ao coquetel de lançamento, onde foram iniciadas algumas vendas e agendados os “test-drive”.

Abrindo a solenidade, o diretor-presidente da Servopa, Sr. Hanz Volswinckel agradeceu a presença de todos, e falou da alegria de estar participando de mais uma nova etapa junto à Volkswagen do Brasil, com a chegada do novo Polo. “Trata-se de um veículo moderno, bonito, com muita tecnologia embarcada e que certamente vai encantar a todos que fizerem o teste com os modelos que temos à disposição”, declarou o Sr. Hanz Volswinckel.

“Para produzir o novo Polo, a fábrica Nova Anchieta recebeu investimentos de R$ 2 bilhões. Essa unidade abriga o que há de mais atual em tecnologia de ponta, tanto em equipamentos e no ferramental como no processo de produção. Tudo lá é novo e inteligente: desde o processo de estamparia com chapas de espessura variável, sistemas de solda a laser, ilhas robotizadas na montagem da carroceria, linha de pintura automatizada, montagem por sistema modular”, concluiu o Sr. Hanz.

Já o diretor técnico da Servopa, Sr. Marcos Celestino, falou sobre as novidades tecnológicas do novo Polo, enaltecendo as qualidades e segurança do veículo. “O novo Polo é o que se pode chamar de veículo “inteligente”. A Unidade Eletrônica Central de Comando e Diagnóstico (BSG) integra e controla as funções e atuação de vários equipamentos, isoladamente ou em conjunto”, disse Marcos Celestino.

“Mais de 100 unidades do novo Polo foram destruídas em “crash-tests” no Brasil e na Alemanha durante o desenvolvimento do projeto. Além dos testes exigidos pela legislação internacional, o novo Polo teve que ser aprovado em testes adicionais realizados pela Volkswagen. Depois de passar pelo impacto frontal contra barreira rígida, o novo Polo foi submetido a choques frontais contra barreiras deformáveis, impactos laterais, traseiros e até capotamento”, concluiu Marcos Celestino.