Nova versão do Corolla está pronta para ser lançada no mercado brasileiro. Circulam informações que seu lançamento por aqui está previsto para o final do segundo trimestre de 2011 e o novo Corolla deverá ser comercializado como modelo 2012.

Com “design” mais moderno, embora ainda conservador, interior mais sofisticado e preço competitivo, o objetivo da montadora japonesa com o novo Corolla é se manter na liderança do segmento e se distanciar cada vez mais do segundo colocado no “ranking”, o Honda Civic.

O Corolla brasileiro chegará com o mesmo visual do modelo europeu, ou seja, conservador, com atualizações na dianteira e na traseira. Na frente foram redesenhados o pára-choque, a grade do radiador e a grade inferior.

O novo Corolla ganhou novos faróis, que deram um ar mais arrojado ao modelo tão conservador.   Na traseira, mudanças na moldura da placa de identificação do veículo, nas lanternas e pára-choques.

O novo desenho deixou a traseira do Corolla mais larga e imponente. Em seu interior, o acabamento está mais requintado, com inovações e novos detalhes, mas oferecendo o mesmo conforto dos Corolla anteriores. 

Sofisticação, também, no painel, acabamento das portas e console central. Entre os equipamentos de série da versão básica estão: rádio AM/FM/CD com sistema Bluetooth, entrada para USB e MP3. Dificilmente um carro desse segmento deixará de sair de fábrica com esses itens, agora presentes até em modelos mais baratos.

Sabendo que o consumidor brasileiro gosta de modelos mais ágeis, diferente de outros mercados, o Corolla comercializado por aqui contará com opção de motor 2.0 16V Flex (só no Brasil e restrito a versões mais caras).

As versões mais simples continuarão a ser oferecidas com motor 1.8 VVT-i Flex. Todos projetados seguindo a tendência mundial:  carros com “design” moderno, leve, com motor compacto e de alta performance, econômico e com baixas emissões.

 Mas o Corolla é vendido em outros mercados com propulsores 1.3, 1.6, 1.4 e a diesel, que ainda trazem o sistema “Start/Stop” que desliga o motor quando o ponto morto é engatado e volta a ligar quando o motorista tira o pé do freio e pressiona o acelerador. Um sistema ecológico que em breve deverá chegar a todos os modelos da montadora japonesa. O preço da versão de entrada está estimado em R$ 60.000.