O mês de agosto animou os produtores paranaenses de frango de corte com o crescimento das exportações de 82,01% no faturamento, atingindo US$ FOB 104.318.622. Em julho, o mercado já havia notado um crescimento de 9%, fechando em US$ FOB 57.298.640 comercializados. Os dados do mês foram apresentados no III Encontro Técnico da Unifrango Agroindustrial, que terminou na quinta-feira em Maringá.

No mesmo período, o volume exportado também teve o crescimento expressivo de 86,52%, atingindo 97.821.452 quilos, contra 52.443.352 de quilos exportados em julho. Para Domingos Martins, presidente do Sindiavipar (Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Paraná) e vice-presidente da região sul da UBA (União Brasileira de Avicultura), este crescimento consolida o período de recuperação das exportações de frango de corte do Estado. ?Acabou o medo internacional da Influenza Aviária. E esta recuperação começa a se consolidar com a Comunidade Européia, África do Sul, Emirados Árabes e Rússia que apresentaram crescimento nas exportações do Paraná?, afima.

Segundo Domingos Martins a recuperação da exportação prevê um fechamento do ano semelhante ao de 2005, que foi de 2.861.710 bilhões de quilos, sofrendo apenas uma variação de dois pontos percentuais para mais ou menos.

Estes números sinalizam para que o Paraná alcance o primeiro lugar nas exportações – hoje ocupa a segunda colocação. Segundo Martins, o setor está trabalhando para conseguir este feito. ?Nós já somos os maiores produtores de frango de corte, temos um bom número de plantas habilitadas para exportação, temos acesso tecnologia e por isso podemos ser o maior exportador?, enumera Martins.

Abates

Para agosto os dados pesquisados pelo Sindiavipar apontam para um aumento de 4% em relação ao mês de julho, que apresentou 83.844.148 cabeças. A tendência é que neste mês o número supere 87.672.382 milhões de cabeças. Fazendo com que o setor se mantenha equilibrado em relação à demanda do mercado.