Começou há pouco, em um hotel de Brasília, a reunião da cúpula e da bancada do PL no Congresso para discutir os rumos do partido diante da crise política. Ao chegar ao encontro, o vice-presidente e ministro da Defesa, José Alencar, e o presidente do partido, o ex-deputado Valdemar da Costa Neto, deram entrevista em tom ameno, negando qualquer divergência entre eles.

"Vamos fazer uma reunião para discutir problemas nacionais. Não há uma pauta para definir esta ou aquela questão" disse Alencar, negando o que vem propondo nos bastidores: o afastamento de Costa Neto do comando do partido. Já o ex-deputado disse que não pretende se afastar da presidência do PL. "Vamos defender a unidade do partido", disse.

Ao comentar o bate- boca, na tarde de ontem, entre o presidente da Câmara, Severino Cavalcanti (PP-PE), e o deputado Frenando Gabeira (PV-RJ), Alencar disse que o episódio foi uma coisa "menor, típica de tempo de guerra". Ele afirmou ainda não acreditar q ue o processo de cassação de vários deputados envolvidos no esquema do chamado mensalão acabará "em pizza", isto é, não resultará em punições e perdas de mandatos. "O Congresso está imbuído de suas responsabilidades e a sociedade brasileira, por meio da mídia, exerce uma vigilância muito positiva para evitar qualquer desvio em um trabalho dessa seriedade", afirmou.

Alencar voltou a defender o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, relatando que ele está chateado por causa da crise. "Ele é um homem correto e de bem. Está chateado, como todos nós no governo e todos os brasileiros de bem", disse.