Brasília – O Banco Popular do Brasil (BPB), instituição criada pelo Banco do Brasil para que a população de baixa renda tenha acesso ao sistema bancário, deverá abrir um sistema de poupança para seus clientes até o começo do próximo ano.

A previsão é do gerente de Microcrédito, Valdir de Oliveira, que em entrevista à Rádio Nacional AM afirmou que "o BPB procura reunir pessoas humildes, que às vezes não se sentem à vontade nas instalações modernas das agências de bancos, como as portas giratórias, e por isso evitam aproximação".

No BPB, os clientes não pagam a taxa de 0,38% de CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira). Além de fazer empréstimos, os clientes do BPB podem usar os postos, instalados em farmácias, padarias e outros pequenos estabelecimentos, para pagar contas e até para apresentar a Declaração Anual de Isento do Imposto de Renda, com prazo até novembro para quem ganha até R$ 12.696 por ano.

O gerente lembrou que o BPB se destina também a atender aos jovens de até 24 anos de idade, "onde há a maior concentração de desemprego no país". Segundo Valdir de Oliveira, "há muitas instituições que promovem cursos para esses jovens e agora nós queremos entrar nesse mercado: ao fazer um curso de marceneiro, eletricista, encanador, borracheiro, o cidadão pode ter acesso a ferramentas, usando o microcrédito do Banco Popular do Brasil para adquiri-las".