Antes mesmo de o governo pôr em prática as medidas para estimular a concorrência entre os bancos e reduzir o spread e o juro ao consumidor final, as instituições financeiras começaram a disputar a clientela, cortando taxas espontaneamente. Os bancos já estão pondo em prática o mecanismo da portabilidade, isto é, a possibilidade de o cliente migrar com suas dívidas de uma instituição para outra, em busca de vantagens.

O Banco PanAmericano lançou na semana passada a campanha "Tapa Buraco". O cliente de outro banco poderá refinanciar dívidas em cartões de crédito e cheque especial com uma nova linha de crédito, cuja taxa será 20% menor em relação ao financiamento original.

Segundo o diretor-comercial, Carlos Roberto Vilani, a taxa mínima do PanAmericano é de 4,4% ao mês. "De imediato, esperamos aumentar em 25% a nossa carteira de crédito pessoal." A campanha também prevê prazo de pagamento em até 15 vezes, com a primeira parcela em novembro.

O Santander Banespa também decidiu cortar o spread, a diferença entre o custo de captação e o empréstimo. No início deste mês, lançou um cartão de crédito para quem tem renda média mensal de R$ 700, sem precisar ser correntista do banco. Batizado de Santander Light, o diferencial desse cartão é a taxa de juros de 5,5% ao mês.