Eliminados da Liga dos Campeões em dois dias seguidos, Barcelona e Real Madrid tentarão se recuperar rapidamente para o clássico de sábado, no Camp Nou, em Barcelona, decisivo para as pretensões das duas equipes no Campeonato Espanhol.

Vice-líder, com 49 pontos, um a menos que o Sevilla – que o derrotou no último sábado -, o Barcelona pode até ficar sem Ronaldinho Gaúcho, que sentiu dores musculares e não treinou hoje. Uma ressonância magnética verificou que não há lesão, mas ele deve seguir fazendo tratamento específico para poder atuar no clássico.

O Barcelona já tem dois desfalques certos, o lateral Zambrotta e o meia Giuly, que foram expulsos contra o Sevilla. "Quem sair vencedor vai crescer não só na tabela, mas moralmente", avaliou o goleiro Valdés. "Jogar em casa é uma vantagem. Além disso, estamos na frente deles", completou.

No Real Madrid, já é certa a ausência do lateral Roberto Carlos, que sofreu ontem uma ruptura muscular na derrota por 2 a 1 para o Bayern de Munique. O zagueiro Cannavaro, com dores musculares, o volante Diarra, com dores no joelho, e os zagueiros Sergio Ramos e Miguel Torres também podem ficar de fora da partida.

Roberto Carlos foi apontado como um dos culpados pelo primeiro gol do Bayern, a 11 segundos de jogo, e culpou a irregularidade do gramado. "A bola bateu na superfície e pulou na minha frente. O campo não estava em boas condições", disse o jogador, sem convencer o diretor esportivo Pedja Mijatovic. "Não começamos a partida com o nível certo de concentração e isso me surpreendeu negativamente", disse o ex-jogador, que atuou ao lado de Roberto Carlos no fim dos anos 90.

À parte os problemas musculares, o técnico Fabio Capello segue com a corda no pescoço. Segundo a imprensa espanhola, ele pode ser demitido em caso de uma derrota no clássico. "Aconteceram coisas que não têm explicações. Temos de fazer muitas reflexões e tomar algumas decisões", disse Mijatovic.