Agora, pelo jeito, o magnata russo Boris Berezovski vai mesmo colocar a mão no bolso para construir o estádio do Corinthians. Se tudo der certo, investirá até R$ 500 milhões na arena, além de assumir de vez o controle da MSI, parceira do clube paulistano desde 2004.

Ontem, em Londres, deu a notícia a um enviado do presidente Luis Inácio Lula da Silva. Com uma condição: o estádio deve ser palco da abertura ou do encerramento da Copa do Mundo de 2014.

O projeto faz parte de plano do russo de investir pelo menos US$ 2 bilhões no Brasil, associado a outros quatro empresários estrangeiros. Há 15 dias, o presidente Lula recebeu Alberto Dualib, no Palácio do Planalto.

O cartola corintiano pediu apoio para o projeto. Lula ligou para o ministro do Desenvolvimento, Luis Fernando Furlan, que designou Juan Quirós, da Agência de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex), para lidar com o projeto.

Quirós manteve reuniões com Berezovski em Londres, onde o russo tem escritório já que vive exilado na Inglaterra. Depois de apresentar as condições de investimentos no País, o bilionário disse ao representante do governo que estaria tudo acertado para a construção do estádio.

Quirós, porém, avisou que há um grupo de investidores no Brasil também interessado. Por isso, a alternativa seria a de tocar o projeto em conjunto. O russo não se opôs à idéia de uma obra repartida com diferentes parceiros.

Isso será um dos temas da visita de negócios que Berezovski fará ao Brasil nas próximas semanas. A intenção é aproveitar o tempo para fechar detalhes do projeto e ser apresentado a seu parceiros nacionais na empreitada. ?Os brasileiros sabiam que viríamos conversar com Berezovski e foram informados do resultado do encontro?, afirmou Quirós, ao deixar a reunião. Esses investidores, no entanto, não querem ainda ter identidades reveladas.