No grupo de 16 jogadores, o técnico da seleção masculina de vôlei, Bernardo Rezende, o Bernardinho, fará quatro cortes para a disputa do Campeonato Mundial do Japão, entre os dias 17 de novembro e 3 de dezembro.

A tendência é de que ele leve o mesmo grupo campeão da Liga Mundial em agosto. Por isso, três deles estão praticamente decididos, o levantador Bruno Rezende, o meia-de-rede Sidão, além do oposto Leandro Vissotto. A única dúvida está na ponta, entre o novato Samuel e Roberto Minuzzi, que retornou ao elenco após uma cirurgia para a retirada de um aneurisma na aorta.

Nessa disputa, o próprio Samuel admitiu ter uma pequena vantagem não só pelo seu atual momento, mas também pelo fato de Minuzzi ainda não estar recuperado em 100% de seu condicionamento físico. E ressaltou que a briga caseira com seu companheiro de clube, o Minas Tênis, só serve de estímulo.

"O Minuzzi fez um trabalho de recuperação e está quase 100% na parte física. Talvez não esteja 100% no auge", observou Samuel, ao falar do amigo que permaneceu 1 ano e três meses em recuperação. "Lá no clube a gente até brinca com ele falando que acabou a moleza.

Em abril de 2003, Samuel integrou o primeiro grupo de cinco jogadores convidados por Bernardinho para treinar com a seleção principal. Naquela época, foi chamado para treinar como oposto, sua posição de origem, mas hoje exerce no time a função de ponta por sugestão de Bernardinho.

No ano passado, e até beneficiado pela ausência de Minuzzi, Samuel conquistou seu espaço na seleção. No currículo, já constam dois campeonatos da Liga Mundial, um Sul-Americano e uma Copa dos Campeões. Agora, aos 22 anos, o ponta está ansioso pela disputa de seu primeiro Campeonato Mundial. "É claro que estou ansioso, mas a convivência que já tenho com a equipe ajudará. Até porque é meu segundo ano com o grupo e estamos bem entrosados por causa da Liga que acabamos de ganhar", falou.

Bernardinho, para acirrar ainda mais a briga e despistar, acrescentou o nome de Murilo na disputa entre Samuel e Minuzzi. Ontem, no Centro de Desenvolvimento do Vôlei (CDV) em Saquarema, o treinador contou não estar preocupado com a decisão que, segundo ele, só tomará na próxima semana.

"O Murilo também está nessa disputa (entre Samuel e Minuzzi). O Roberto tem grandes virtudes e a vantagem da experiência. Perde na potência física", afirmou Bernardinho. "Mas, o Murilo e o Samuel estão um pouco à frente pela continuidade que vêm tendo na equipe.

Família

Conhecido pela disciplina rígida que impõe a seus atletas, Bernardinho amoleceu um pouco e permitiu que os atletas convivessem por uma semana com seus familiares, antes da viagem do grupo para o Japão, prevista para o dia 5 de novembro. Com a benesse do treinador, o CDV foi invadido por esposas e filhos dos atletas.

"Acho importante essa convivência também entre nossos filhos para um ir conhecendo o outro. E o apoio da família é importante porque vamos ficar somente duas semanas de treinos, ao contrário de outras preparações que duraram dois meses", disse o levantador Ricardinho.