Rio – O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social anunciou a aprovação do primeiro financiamento, no valor de R$ 6,7 milhões, para a nova linha de crédito Inovação Produção, criada pela instituição para apoiar a produção em escala industrial de produtos que contenham inovações tecnológicas.

A beneficiada será a empresa Opto Eletrônica S/A, de capital 100% nacional, fundada em 1985 por pesquisadores e técnicos da Universidade de São Paulo, situada no município de São Carlos (SP). A companhia é especializada na produção de equipamentos ópticos de alta tecnologia, destinados ao setor médico-oftálmico. Os recursos serão implantados em uma linha de produção de lentes que utiliza tecnologia inédita no Brasil.

Segundo informação da assessoria do BNDES, o crédito que será concedido pelo banco permitirá a fabricação no país de um tipo de lente, chamadas de anesféricas, que até agora eram importadas. As lentes não têm o raio de curvatura constante, como as lentes esféricas tradicionais, e por isso permitem aos equipamentos especializados, como microscópios, uma melhor definição de imagem. Uma lente anesférica pode substituir quatro lentes esféricas, por exemplo, sendo ainda menor, mais leve e mais precisa.

Segundo o BNDES, o desenvolvimento do projeto é importante para o país, na medida em que significa a exportação de produtos com maior valor agregado. Para a área da defesa, o projeto é considerado estratégico porque as lentes permitem desenvolver equipamentos de visão noturna, usados pelas Forças Armadas. Elas servem também para guiar mísseis inteligentes e para aviões que fazem vôos de reconhecimento, sendo utilizadas ainda em satélites.

O apoio à Inovação foi definido em fevereiro passado pelo presidente do BNDES, Guido Mantega, como "a principal prioridade do banco" em 2006. A afirmação foi feita durante o lançamento das novas políticas operacionais da instituição. O financiamento do BNDES corresponde a 55% do total dos investimentos previstos no projeto.