Brasília ? Cerca de 30% dos recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Social e Econômico (BNDES) são destinados ao financiamento de projetos de pequenas e médias empresas. Em 2002, elas recebiam cerca de 20% do total de recursos repassados pela instituição. A informação é do presidente do BNDES, Demian Fiocca, que participou hoje (22) de entrevista coletiva à Rede Nacional de Rádio, promovida pela Radiobrás.

Atualmente, as operações com pequenas e médias empresas representam cerca de 85% do total realizado pelo banco. "Nos últimos três anos, o BNDES reforçou a sua atuação junto a essas empresas. O banco reduziu os juros cobrados sobre o custo de captação de recursos e até certo ponto estimulou, quase posso dizer, empurrou o sistema bancário brasileiro a fazer mais operações com micro, pequenas e médias empresas", afirmou Fiocca.

Para que a rede bancária que opera com recursos do BNDES ? mais de 80 bancos privados e públicos ? tivesse acesso aos recursos da instituição para financiar grandes projetos, passou a ser necessário emprestar para as pequenas e médias empresas.

Um dos principais impactos dessa mudança, segundo Fiocca, foi na geração de empregos. De 2000 a 2004, para cada 100 empregos existentes, foram criados mais oito. No caso das empresas que receberam financiamento do BNDES, de cada 100 postos existentes, foram abertos mais 23, no mesmo período.

De acordo com Fiocca, o prazo médio das operações do BNDES é de 82 meses, enquanto o prazo médio das operações dos bancos privados é de apenas sete meses. A taxa de inadimplência atualmente é menos de 1% do total de empréstimos. "É um nível de inadimplência mais baixo do que a média do sistema financeiro privado".

Uma das modalidades de financiamento para os pequenos e médios empresários é o Cartão BNDES, disponível no Banco do Brasil, Caixa Econômica e Bradesco. "O cartão pode ser solicitado diretamente no site do BNDES. A pessoa solicita e os bancos que usam o cartão BNDES concedem um crédito pré-aprovado para o pequeno empresário", explicou Fiocca.

Uma das vantagens é que nessa modalidade não é preciso apresentar um projeto detalhado para ter direito ao recurso. O cartão pode ser usado para financiar uma lista de 33 mil produtos. O valor máximo dessa operação é de R$ 100 mil. Cerca de um ano atrás, 20 mil cartões tinham sido emitidos, contra 57 mil atualmente. Foram disponibilizados R$ 1,3 bilhão, segundo Fiocca. "O cartão BNDES é um instrumento para o microempresário, um instrumento ágil, de fácil acesso e que tem sido muito bem recebido". O endereço eletrônico do BNDES é: www.bndes.gov.br.