O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) trabalha com a expectativa de que quatro empresas distribuidoras de energia poderão enquadrar-se, até o fim do ano, no programa da capitalização das empresas de distribuição instituído pelo banco. De acordo com o superintendente de Infra-Estrutura do BNDES, João Carlos Cavalcanti, se essa expectativa se confirmar, o banco poderá liberar financiamentos de cerca de R$ 2,5 bilhões, dos R$ 3 bilhões oferecidos para esse programa.

“O Grupo Guaraniana já foi enquadrado para ter acesso a esse linha”, disse Cavalcanti, que participou hoje (21) do seminário “Painel Setorial de Energia Elétrica – Foco na Distribuição”, que está sendo realizado pela Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee) e pelo Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais. (Apimec). “Os grupos não estão enquadrados, mas poderão ser são Light, Grupo Rede e AES Eletropaulo”, acrescentou, destacando que as conversações com esses grupos ainda estão em curso.

Questionado sobre a falta de adesões ao programa até o momento, Cavalcanti disse que o BNDES já realizou vários ajustes nas exigências, com o objetivo de facilitar o enquadramento. “Houve o caso de uma empresa que pretendia ter acesso ao financiamento, mas não tinha dívida de curto prazo. Ora, se não há dívidas de curto prazo, não é necessário ter acesso ao programa de capitalização”, disse o superintendente do BNDES.