Brasília – A Agência Espacial Brasileira está discutindo a participação do Brasil no sistema de localização europeu, denominado Galileo, formado por 30 satélites.

Na segunda-feira (16), representantes da Agência e da Comissão Européia reuniram-se em Brasília com o objetivo de formalizar e aprimorar o envolvimento brasileiro no projeto.

Segundo o gerente do programa Galileo no Brasil, Raimundo Mussi, o país pretende participar visando três setores: ?O primeiro é a aplicação do sistema; o segundo, as pesquisas científicas relacionadas ao geoposicionamento por satélites; e o terceiro é o setor produtivo brasileiro?.

Mussi também explicou as razões para o investimento no modelo europeu: ?Podemos ter mais confiança nesse sistema. O GPS pertence ao Departamento de Defesa norte-americano e eles podem desligar os satélites a qualquer momento. O Galileo é um consórcio, com regras estabelecidas?.

O Brasil utiliza o GPS ? os satélites do sistema europeu só vão operar a partir de 2010. O primeiro deles foi lançado no início deste ano e mais dois estão programados para novembro, informou Mussi.

Os programas de satélites são imprescindíveis para orientar aviões, navios, caminhões, e determinar a posição de objetos na superfície da Terra ou em órbita.