O Brasil deverá firmar ainda nesta semana um acordo de equivalência sanitária com a China para facilitar a troca comercial de produtos agrícolas. Os termos do protocolo serão discutidos pelo ministro da Agricultura, Marcus Vinicius Pratini de Moraes, e pelo ministro da Administração Geral de Inspeção, Qualidade e Quarentena da China, Li Changjiang, que chega quarta-feira ao Brasil, onde permanecerá até o sábado.

A expectativa é de que o protocolo de equivalência seja assinado na sexta-feira, uma vez que troca de informações já foi realizada pelos técnicos dos ministérios dos dois países. O secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Luiz Carlos de Oliveira, disse que falta apenas a análise final do documento pelos dois ministros. Oliveira informou que o acordo com os chineses é resultado de um processo de negociação que começou em 2000 e contou com a ida de técnicos do ministério àquele país.

Na semana passada, diretores do Departamento da Área Animal e Vegetal do Ministério da Agricultura levaram informações sobre os programas sanitários e fitossanitários nacionais. Oliveira disse que foram prestados todos os esclarecimentos solicitados pelos chineses sobre doenças sujeitas a regras sanitárias do Comitê Internacional de Epizootias (OIE), como febre aftosa, peste suína clássica e doença de ?new castle? (que atinge as aves).