Os ministros da Educação do Brasil, Cristovam Buarque, e da Nigéria (África), Babalola Borishade, decidiram hoje, 18, em Brasília, constituir uma comissão permanente de cooperação para trocar experiências sobre programas bem-sucedidos. A Nigéria tem interesse nos programas do MEC sobre Educação a Distância, Bolsa-Escola e formação de professores, e o Brasil quer participar do debate iniciado na Nigéria sobre a nova universidade, além de intercâmbio de educadores entre os dois países.
De acordo com o representante do Programa das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco), Jorge Werthein, que promoveu o encontro, o protocolo de cooperação entre os dois ministérios da Educação deverá ser assinado até sexta-feira, 21. A Unesco, explicou, vai coordenar e secretariar a comissão permanente. Além da definição dos temas principais, os parceiros acertaram uma agenda com duas reuniões por ano, uma no Brasil e outra na Nigéria.
Jorge Werthein informou que o ministro Cristovam Buarque sugeriu e  Babalola Borishade aceitou a montagem de intercâmbio entre professores universitários para dar aulas sobre a cultura dos países. Dessa forma, professores brasileiros poderiam passar seis meses em universidades nigerianas falando sobre a cultura do Brasil e os nigerianos viriam às universidades brasileiras para falar sobre as raízes da cultura africana.