Genebra – O Brasil, com o apoio de países africanos, apresenta amanhã (26) uma proposta para que a Organização Mundial da Saúde (OMS) crie um acordo internacional que determine prioridades para pesquisas científicas no setor da saúde. A idéia é conseguir que parte dos US$ 100 bilhões gastos em pesquisa por ano no mundo seja destinada para estudos de doenças que afetam populações em países pobres.

O governo brasileiro ainda pede que as regras de patentes não sejam fortalecidas em acordos regionais ou bilaterais, como tem ocorrido em tratados recentemente assinados pelo governo dos Estados Unidos com outros países menores.

Não por acaso, Washington é contra a proposta do Brasil na OMS. Já 240 pesquisadores de todo o mundo, inclusive ganhadores do Prêmio Nobel, enviaram uma carta

OMS pedindo que a proposta brasileira seja adotada.