Brasília – O Brasil tem 241 rotas terrestres, marítimas e aéreas de tráfico de crianças, jovens e mulheres para a exploração sexual no exterior e no interior do País. Um dos principais destinos dessas vítimas é a Espanha, para onde há 33 rotas, seguida pela Holanda (11), Venezuela (10), Itália (9) e Portugal (8). As informações foram levantadas pela Pesquisa Nacional sobre Tráfico de Mulheres, Crianças e Adolescentes (Pestraf), realizada entre 1996 e 2002, com o apoio da Organização dos Estados Americanos (OEA) e do Centro de Referência, Estudos e Ações sobre a Criança e o Adolescente (Cecria). Segundo a coordenadora da Pestraf, Maria Lúcia Leal, a maioria dessas rotas é acobertada por uma rede “de fachada” de empresas de turismo, moda, transporte e entretenimento. Há muitos casos comprovados de aliciamento de jovens envolvendo boates, agências de modelo, postos de combustíveis e outros negócios.