O distrito de Xerém, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, uma das regiões mais prejudicadas pelas chuvas que atingiram o estado na semana passada, teve 28 dos 31 circuitos elétricos religados, totalizando 1,5 mil casas com energia restabelecida, segundo dados divulgados pela Light, concessionária responsável pelo abastecimento de luz na área. O fornecimento foi cortado a pedido da Defesa Civil por questões de segurança.

Segundo a concessionária, um dos três circuitos elétricos que não puderam ser religados foi carregado pela enxurrada junto com parte das casas de 30 famílias que usavam a rede. Além desse, dois circuitos, que atendem a 157 imóveis que estão sem moradores, ainda não foram liberados pela Defesa Civil e continuam sem energia.

Depois de inspeções na localidade, o fornecimento de energia foi normalizado nas residências com condições técnicas de segurança. No bairro Café Torrado, um dos mais atingidos pela inundação, a concessionária também religou a luz na Igreja Brasil para Cristo, que está sendo usada como abrigo para a população desalojada.

Para ajudar na reconstrução da ponte que liga os trechos do distrito, foram disponibilizadas três torres de iluminação com gerador. A concessionária informou que está fazendo reparos na rede elétrica, além da retirada de equipamentos danificados, de fiação e de postos derrubados pelas enxurradas. A Light está calculando o número de moradores que perderam lâmpadas e geladeiras, para que recebam novas unidades como parte do programa de eficiência energética da concessionária, o Comunidade Eficiente.

A empresa disse que não irá cobrar multas e juros por atraso no pagamento das faturas com vencimento até o dia 3 de janeiro. Para atender à população, uma agência móvel será montada na Praça da Mantiqueira, em frente à Igreja Wesleyana, com atendimento das 9h às 16h. De hoje (7) até quinta-feira (10) as agências da concessionária estão recebendo donativos nos endereços disponíveis no site da Light.

Em nota, a Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) informou hoje (8) que o abastecimento de água nas cidades afetadas já foi normalizado, exceto por problemas pontuais como vazamentos. Segundo a estatal, as casas com cisterna não foram afetadas pelo desabastecimento que atingiu parte de Duque de Caxias. A Cedae teve dois sistemas de fornecimento atingidos pelas chuvas em Xerém, que deixaram 12 mil pessoas sem água nos últimos dias.

Moradores reclamam que, apesar de restabelecida, a água está chegando às casas de forma irregular e com baixa qualidade, com muito barro, e não pode ser consumida porque eles temem o risco de contaminação.

Durante visita realizada na manhã de hoje (8) a Xerém, o prefeito de Duque de Caxias, Alexandre Cardoso, disse que dez casas já foram demolidas às margens do Rio Capivari. Em quatro dias, mais 30 serão destruídas, e em duas semanas esse número chegará a 150. Atendendo a pedido de moradores, o prefeito solicitou que a Secretaria de Obras retire os carros empilhados e a lama que bloqueiam a Rua Hilário de Souza Bastos.

A Polícia Civil está fazendo uma operação para investigar a alta abusiva de preços após a tragédia, que atinge a venda de produtos básicos como água, alimentos e materiais de limpeza no comércio de Xerém. A ação foi iniciada após denúncias feitas por moradores.