Brasília – A violência econômica, com abuso psicológico, principalmente por famílias, e a negligência são os dois fatores mais significativos das violências sofridas por idosos no Brasil. Hoje são 15 milhões em todo o País com idade acima de 60 anos. Em 2000, morreram 13.436 idosos por acidentes e violências, o que representa cerca de 37 mortes por dia. A pesquisadora titular da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) Maria Cecília Minayo disse que Porto Velho (RO), Boa Vista (RR), Cuiabá (MT), Campo Grande (MS), Palmas (TO), Macapá (AP), Rio de Janeiro (RJ), Brasília (DF), Natal (RN) e Salvador (BA), são as dez capitais com as taxas de mortes violentas de idosos mais altas em 2000. Para Neidil Espinola, do Ministério da Saúde, campanhas de sensibilização podem ajudar a reduzir a violência. As duas concordam que qualquer política do idoso deve ter atenção especial voltada para a família. “A família produz muita violência”, diz Maria Cecília Minayo. Dos 15 milhões de idosos hoje no Brasil, apenas 500 mil estão em instituições de longa permanência. Ou seja, 14,5 milhões de idosos vivem com suas famílias.