Brasília – Uma pesquisa ainda inédita feita pela pesquisadora Miriam Abramovay revela que quase 84% dos alunos afirmam existir violência dentro da escola. Cerca de 37% dos estudantes já foram vítimas de furtos e 4,7% já apanharam na escola. Os dados da pesquisa, que será publicada pela Unesco, foram apresentados hoje na abertura do Congresso Ibero-Americano sobre Violências nas Escolas. O evento, que prossegue nesta quinta-feira, tem o objetivo de apresentar resultados de pesquisas e incentivar a troca de experiências para a elaboração de políticas públicas para o enfrentamento da violência escolar.

A pesquisadora Miriam Abramovay, professora da Universidade Católica de Brasília e vice-coordenadora do Observatório sobre Violência nas Escolas no Brasil, revelou ainda que 21,7% dos entrevistados dizem já ter visto canivetes no ambiente escolar e 12,1%, revólveres. A percepção de violência entre os alunos é alta, mesmo entre aqueles que consideram a escola “boa-ótima”. A proporção de alunos que dizem que existe violência na escola varia de 90,7% (alunos que consideram a escola “péssima-ruim”) a 78,3% (alunos que consideram a escola “boa-ótima”).

O estudo foi realizado no Distrito Federal e em cinco capitais do país (Belém, Salvador, Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo), em 143 escolas da rede pública de ensino estadual e municipal com mais de 12 mil estudantes.