A Associação Brasileira de Televisão por Assinatura (ABTA) obteve na sexta-feira, dia 16, no Conselho Nacional de Auto-Regulamentação Publicitária (Conar), uma liminar contra a atual campanha publicitária da Amil. Segundo a decisão do Conselho de Ética do órgão, a empresa deverá retirar do ar a campanha, que questiona a utilidade para as famílias em gastar com serviços como celulares e TV por assinatura e economizar na hora de contratar um plano de saúde.

A ABTA entrou com representação no Conar por considerar o texto – que vinha sendo veiculado em spots de rádio – ofensivo ao setor de TV por assinatura. O organismo afirma em despacho que o anúncio ?oferece indícios de infração ética?. A ABTA havia proposto na primeira reunião de conciliação que a Amil eliminasse do texto a frase ?eu posso saber porque a gente está pagando essa TV a cabo com 180 canais??, dita por uma mulher ao marido enquanto ele assiste ao futebol português.

Como a proposta não foi aceita pela Amil, o Conar deferiu o pedido de liminar feito pela entidade, optando por tirar a campanha do ar até o julgamento, previsto para início de junho.