O número de acidentes nos 22 mil km de rodovias estaduais de São Paulo diminuiu 21% se comparado ao último feriado equivalente do 2011. A operação começou na sexta e terminou na terça-feira.

De acordo com a Polícia Rodoviária Estadual (PRE), o Natal deste ano foi comparado com o feriado da Proclamação da República de 2011, por ser um período semelhante em número de dias, condições climáticas, aliado ao deslocamento das pessoas, principalmente, em direção ao litoral e interior de São Paulo.

A PRE registrou uma diminuição de 1.418, para 1.120, de uma operação para outra. Houve também uma diminuição no número de vítimas feridas de 751 para 713, representando 9% a menos.

O número de vítimas fatais também teve queda de 5%, de 43 para 41 este ano.

Do total de acidentes que ocasionaram vítimas fatais, 19% deles decorreram de acidentes do tipo colisões frontais, grande parte deles devido a ultrapassagens, segundo a PRE.

Na operação também foram apreendidos 1.696 veículos, 136 carteiras de habilitação e 2.053 documentos de veículos por irregularidades.

Nos cinco dias de fiscalização intensa foram presas 97 pessoas em flagrante por cometimento de crimes. Além disso, seis procurados pela Justiça foram capturados, 14 veículos que haviam sido roubados foram recuperados e cinco armas de fogo foram apreendidas, resultados das intensivas ações de combate às diversas modalidades de crimes nas rodovias estaduais.

Embriaguez

O número de motorista presos em flagrante por dirigir embriagado saltou de 10 no feriado comparativo para 77 neste Natal. De acordo com a PRF, o aumento significativo de casos é decorrência da mudança da lei seca, que facilitou e ampliou o poder da polícia para deter esse tipo de conduta.

As mudanças na lei seca endurecendo a fiscalização da embriaguez ao volante começaram a valer na sexta-feira (21). A proposta tornou válidos novos meios para identificar um condutor alcoolizado, além do bafômetro.

Há ainda uma alteração no Código de Trânsito Brasileiro que dobra a multa aplicada a quem for pego dirigindo embriagado: dos atuais R$ 957,70 para R$ 1.915,40, valor que pode dobrar em caso de reincidência em 12 meses.

Entre os meios que passam a ser aceitos para comprovação da embriaguez estão o depoimento do policial, vídeos, testes clínicos e testemunhos.

O agente de trânsito pode ainda se valer de qualquer outro tipo de prova que puder ser admitida em tribunal.