A advogada Andréia Damasceno, que defende a empresária paranaense Sílvia Pfeiffer, roubou a cena nesta terça-feira (10) na CPI do Apagão Aéreo do Senado, ao protestar sobre qualquer pergunta referente à "vida pessoal" de sua cliente pelos senadores da Comissão. Andréia reagiu a perguntas feitas pelo senador Demóstenes Torres (DEM-GO) sobre indiciamentos da empresária no Paraná por estelionato e calúnia e difamação. A advogada de Silvia disse que não deveriam ser feitas perguntas que fugissem do objeto da CPI.

O clima chegou a esquentar quando ele deu exemplos. "Se fossem investigar todo mundo que passa cheque sem fundo…". "Eu não passo", respondeu Demóstenes. "Mas ela não tinha mensalão", retrucou a advogada. "Nem nós", replicou o senador. Depois, mais calma, ela disse seu embate "não era pessoal" com nenhum senador. Silvia Pfeiffer completa hoje seu depoimento à CPI sobre um suposto esquema de corrupção na Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), interrompido no último dia 21 de junho, quando ela passou mal.