Brasília – Desde o motim dos controladores de vôo militares que paralisou todos os aeroportos do País por dez horas no dia 30 do mês passado, já são duas semanas de tranqüilidade. Em lugar de longas filas nos balcões de check-in e salas de embarque lotadas de passageiros, o que se tem visto são poucos atrasos e cancelamentos. O ?fenômeno?, anormal para os últimos sete meses, desde que caiu o avião da Gol matando 154 pessoas, acontece justamente quando os partidos de oposição intensificam suas articulações políticas para instalação de CPI na Câmara ou no Senado que investigue os motivos do caos aéreo.

Segundo os boletins da Infraero no fim de semana, entre meia-noite e meio-dia; ontem, por exemplo, apenas 1,4% dos vôos programados para o período sofreram atrasos superiores a uma hora. Vôos cancelados foram 0,9%.