Brasília – A Operação Hora Certa, promovida pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para prevenir atrasos nos vôos e que começará nos próximos dias, envolverá fiscalizações 24 horas por dia até a segunda semana de fevereiro (após o carnaval). A informação é do diretor da Anac Alemander Pereira.

De acordo com Pereira, a operação envolve todos os aeroportos brasileiros, com foco nos locais onde mais ocorrem atrasos. Segundo ele, o objetivo é acompanhar a qualidade dos serviços prestados, tanto nos aeroportos como no transporte dos passageiros.

A Operação Hora Certa pretende detectar e corrigir as falhas que provocam atrasos nos vôos domésticos. A fiscalização será nos serviços das empresas Tam, Gol, Varig e Ocean Air em terra e no ar.

?A operação envolve todos os aeroportos, mas tem foco direcionado a alguns aeroportos, porém nós não vamos anunciar [quais os locais de fiscalização], porque ela é uma operação surpresa e extraordinária?, diz Pereira.

Alemander informa que os fiscais da Anac vão monitorar o embarque e desembarque de passageiros, a movimentação das aeronaves no pátio. A agência também enviará inspetores para acompanharem os vôos das quatro companhias que detêm mais de 1% no mercado doméstico. Dentro das cabines dos aviões, haverá ainda inspetores de operações de aeronavibilidade.

A operação também será feita nas oficinas de manutenção quando houver algum problema grave. Nessas situações, os fiscais serão remanejados para as oficinas e bases de manutenção dos aeroportos.

?Em todos os casos serão sempre checados procedimentos operacionais das equipes do solo, das tripulações e também na manutenção, fiscalizando os equipamentos das companhias, tanto internas como no ar?, afirma o diretor da Anac.

Na primeira etapa da Operação Hora Certa, a meta é reduzir os atrasos de mais de uma hora nos vôos domésticos até julho. Na segunda fase, o objetivo é diminuir os atrasos superiores a 30 minutos, até que sejam regularizados os horários da aviação civil.