A Agência de Desenvolvimento de Guarulhos (Agende), uma organização público/privada, em nota oficial, lamentou a decisão do governo federal de excluir do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) o projeto de construção da terceira pista do Aeroporto de Cumbica. A crítica da Agência de Desenvolvimento diz ainda que a decisão sobre os investimentos para o setor de infra-estrutura no Brasil "parece ser tomada com base apenas na conjuntura atual, sem levar em conta as perspectivas futuras e, conseqüentemente, sem um planejamento que permita tanto uma assimilação mais eficiente do crescimento de demanda quanto uma melhor condição de planejamento por parte dos municípios e da própria população".

Diz ainda a nota oficial da Agende que "o processo de discussão do Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e do Relatório de Impacto do Meio Ambiente (RIMA), necessários para a construção do terceiro terminal, irão se caracterizar como uma importante oportunidade para a discussão sobre os diversos temas que envolvem a qualidade de vida da população local e o desenvolvimento da região, tendo em vista as demandas ambientais sociais e viárias que serão criadas pela ampliação das operações do aeroporto, sem o equivalente aumento do sítio aeroportuário e das áreas de afastamento e segurança".