Os agentes penitenciários de Sergipe entraram em greve na última sexta-feira (28), por tempo indeterminado. Eles reivindicam equiparação salarial com os agentes penitenciários federais e concurso público para a criação de novas vagas do cargo. Enquanto os sergipanos têm um salário que varia entre R$ 1,3 mil e R$ 1,8 mil, os federais ganham R$ 4,4 mil.

A greve foi deflagrada, apesar da Procuradoria Geral do Estado (PGE) ter pedido à Justiça que julgue a ilegalidade da paralisação. Os 650 agentes cuidam de uma população carcerária de 2,4 mil pessoas em oito presídios no Estado.

O presidente do sindicato da categoria, Antônio Cláudio Viana, disse que a adesão dos agentes penitenciários é de 100%, embora 30% deles estejam trabalhando. O sindicalista disse que o governo do Estado colocou funcionários que exercem outras funções na Secretaria de Justiça e Cidadania para suprir a falta dos demais agentes, "o que é ilegal".