Rio de Janeiro – Cinco agentes do Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase) foram afastados nesta quarta-feira (2) por suspeita de envolvimento na morte de um jovem de 17 anos.

O rapaz morreu por espancamento, depois de ter dado entrada no Centro de Triagem e Recepção, na Ilha do Governador, zona norte da cidade. O adolescente havia sido detido na segunda feira (31) suspeito de roubo.

Segundo a assessoria de imprensa do Degase, os agentes prestaram depoimento na delegacia da área. Foi aberta uma sindicância para investigar a suposta participação deles no crime. O resultado da investigação deve ser liberado em 30 dias.

De acordo com o deputado Marcelo Freixo, membro da comissão de Direitos Humanos da Assembléia legislativa do Rio, a comissão vai acompanhar as investigações.

"É um mau início de ano para o Degase, até porque o próprio governo diz ter prioridades para realizar ações e investimentos. Já entrei em contato com a minha equipe, que vai até lá procurar mais detalhes e saber sobre o procedimento na delegacia?.

Freixo informou ainda que devem ser intensificadas as ações socioeducativas entre os funcionários do local.