O líder do DEM no Senado, senador José Agripino (RN), anunciou em discurso da tribuna que, se até amanhã o presidente do Conselho de Ética, senador Sibá Machado (PT-AC), não indicar um novo relator para o processo contra o presidente da Casa, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), convidará os líderes dos demais partidos para que cheguem a um nome de consenso. O primeiro relator, senador Epitácio Cafeteira (PTB-MA), está de licença médica; seu substituto, senador Wellington Salgado (PMDB-MG), renunciou à função. A atual situação, segundo Agripino, só faz piorar a imagem de Calheiros, a do próprio Senado e a dos demais parlamentares.

"Não podemos prolongar o calvário de ninguém. Nem do presidente Renan Calheiros e nem do Senado. E tampouco podemos continuar expostos ao açoite da opinião pública", afirmou. Na avaliação de Agripino, já nasceu morta a idéia de Sibá Machado de escolher três senadores para relatarem, juntos, o processo. O líder do DEM previu que, se Sibá escolher três nomes da base aliada ao governo, é certo que podem chegar a um mesmo acordo, e, portanto bastaria um. "Já se forem três de partidos diferentes, dificilmente haverá consenso.

Para Agripino, é necessário agir rapidamente para que até o início do recesso parlamentar de julho, daqui a duas semanas, o Legislativo já tenha uma conclusão do caso. "Não se pode esperar que chegue o recesso, e os fatos se espaireçam por si só. O Brasil reclama uma decisão. O senador Renan tem o direito de oferecer, a cada momento, suas defesas, mas, se as provas não forem convincentes, o Conselho de Ética e o plenário têm de dar o veredicto", declarou Agripino. Sibá só deverá chegar ao Senado ao final da tarde, de acordo com informação de assessores dele.