Centenas de fiéis e de amigos assistiram neste domingo, 4, na Paróquia de São Francisco de Assis, em Ermelino Matarazzo, zona leste de São Paulo, a uma missa em homenagem aos 94 anos, completados dia 14 de agosto, do cardeal d. Paulo Evaristo Arns, arcebispo emérito de São Paulo, com lançamento simultâneo do livro “Dom Paulo Evaristo Cardeal Arns – Pastor das Periferias, dos Pobres e da Justiça”.

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e o prefeito Fernando Haddad (PT), sentados ao lado do altar, entre políticos, padres e freiras, acompanharam a liturgia, fazendo a leitura de textos bíblicos e indo ao microfone para saudar o cardeal com elogios à sua atuação contra a violência, durante o regime militar.

O bispo emérito de Blumenau, em Santa Catarina, d. Angélico Sândalo Bernardino, que foi auxiliar de d. Paulo, cobrou do governador e do prefeito mais atenção para a periferia.

“Prefeito, coloque a periferia em seu coração”, disse o professor Fernando Altemeyer Júnior, professor da Pontifícia Universidade Católica (PUC) e autor da introdução do livro sobre o cardeal.

Coletânea de artigos de 55 pessoas e ilustrado com 160 fotos, o livro foi publicado pelas Associação Casa da Terceira Idade Teresa Bugolin, com apoio da Imprensa Oficial, do governo do Estado. Os organizadores da obra foram o professor Waldir Augusti e o padre Ticão (Antônio Luiz Marchioni), da Paróquia São Francisco de Assis.

D. Paulo leu uma curta mensagem de agradecimento e abençoou duas vezes os fiéis, antes de a missa terminar. Foi muito aplaudido e provocou grande emoção no público, em sua maioria formado por militantes das pastorais populares da Diocese de São Miguel Paulista, cujo bispo, dom Manuel Parrado Carral, presidiu a cerimônia. Além de d. Angélico, compareceu d. Celso Queiroz, bispo emérito de Catanduva, que também foi auxiliar de d. Paulo.