O senador Álvaro Dias (PSDB-PR) fez há pouco um pronunciamento na tribuna do Senado para negar acusação contida em nota do blog do jornalista Ricardo Noblat que o responsabiliza pelo vazamento do suposto dossiê com informações sobre gastos do governo Fernando Henrique Cardoso com cartões corporativos e contas tipo B. "Quem vazou está no Palácio do Planalto. Não me cabe revelar quem foi o responsável pela divulgação. O que me cabe é cobrar do governo providências em relação a mais este escândalo", disse. "Seria impossível que eu pudesse estar urdindo nas barbas do presidente Lula um dossiê. Que se busque um responsável por isso."

Álvaro Dias disse que, antes da divulgação do suposto dossiê pela revista "Veja", havia afirmado em plenário ter visto o dossiê, que teria deixado de ser novidade há tempos. Fez questão de citar a frase da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, no início de fevereiro, logo após a demissão da então ministra da Igualdade Racial, Matilde Ribeiro – "não vamos apanhar quietos".

Conforme seu relato, a partir daí começou-se a elaborar um documento com os gastos do governo Fernando Henrique. Disse também que em fevereiro várias notas em jornais e blogs já mencionavam a existência do dossiê. "Não admito que o governo venha me questionar sobre o vazamento das informações", afirmou.

Como reação ao pronunciamento de Dias, o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), disse que o Palácio do Planalto está sendo vítima de espionagem.