A mudança de data de realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para 191 mil estudantes – 41 mil deles no Paraná – anunciada nesta semana pelo Ministério da Educação (MEC) custará R$ 12 milhões aos cofres públicos, revelou o ministro Mendonça Filho, nesta quinta-feira (03). Os alunos terão a prova adiada para os dias 3 e 4 de dezembro. Os que não tiveram a prova adiada farão os exames amanhã (05) e domingo.

O motivo da transferência é a ocupação de escolas em todo o País, que afeta 304 locais de prova. Inscritos afetados pela mudança serão avisados por SMS, e-mail e na Página do Participante, no site do Enem, que estão dispensados do exame neste fim de semana. Os novos locais devem ser anunciados nesta sexta-feira (04).

Mendonça Filho criticou as ocupações e disse que houve uma “politização” do Enem. “Todos têm direito à opinião, mas a escola é um espaço público. Acho que você não pode impedir seu colega de ter acesso à educação”. Ele disse ainda que partidos têm se aproveitado das ocupações.

Suspensão

A Justiça Federal negou ontem pedido do Ministério Público Federal do Ceará para suspender o exame, sob alegação de que a realização de datas diferentes para quem foi prejudicado pela ocupação de escolas feria a isonomia do processo.

Após a rotina de estudos e em meio à ansiedade nos dias que antecedem o Enem, o estudante deve ficar atento ao material que precisa levar no dia da prova e ao que não é permitido durante a aplicação do exame.

Confira as dicas para quem vai fazer a prova amanhã:

Infografia: Claudio Lopes
Infografia: Claudio Lopes